sicnot

Perfil

Economia

Deco alerta para "custos inflacionados" em contratos de telecomunicações sem fidelização

© Bobby Yip / Reuters

A Associação de Defesa do Consumidor considerou hoje que os contratos sem fidelização das operadoras de telecomunicações são "demasiado caros" e com "custos de instalação inflacionados".

A Deco sublinhou que, depois de estudado o mercado, verificou que os contratos sem fidelização custam o dobro face à opção daqueles que impõem 24 meses, os custos de instalação aumentaram igualmente na maioria das operadoras e as vantagens para os clientes parecem estar sobrevalorizadas.

Em comunicado, a Deco referiu que a Lei das Comunicações Eletrónicas, que foi alterada para defender "condições claras e transparentes e positivas" para o consumidor, está a ser usada pelas operadoras "para o prejudicar ainda mais".

"A Anacom deve atuar enquanto entidade que supervisiona o setor, nesse sentido, será alertada para a deturpação da legislação por parte das operadoras. Para as diversas operadoras no mercado, constatámos que quase tudo é considerado oferta, incluindo, por exemplo, os canais que fazem parte do pacote contratado e que já são alvo de uma mensalidade. Já a Autoridade da Concorrência deve analisar as alterações dos custos de instalação e das vantagens que as operadoras dizem oferecer aos clientes", frisou.

Além do destaque dado às ofertas com fidelização de 24 meses, a Deco apontou que as operadoras aumentaram os custos e as mensalidades dos tarifários sem fidelização ou com prazos mais curtos, a ponto de serem pouco ou nada atrativos.

Segundo a Deco, ao fim de dois anos, um contrato com fidelização de 24 meses para um serviço 3P com 100 Mbps de velocidade de net custa menos de 990 euros enquanto um contrato sem fidelização chega a custar mais de 1.920 euros (MEO). Num serviço 4P, um contrato de 24 meses para um serviço base com um cartão de telemóvel custa menos de 1.280 euros enquanto um contrato sem fidelização chega a custar mais de 2.320 euros (MEO).

Para a Deco, o consumidor deve ser "premiado à medida que se mantém fiel à operadora, mas não deve ser 'obrigado' a escolher a opção de 24 meses pela diferença gritante nos preços praticados face às opções com menor prazo de fidelização ou sem fidelização".

"Cobrar ao consumidor custos de instalação que chegam aos 410 euros em conjunto com mensalidades entre 20 a 35% mais elevadas comparativamente com as opções com fidelização de 24 meses não é garantir liberdade de escolha", sublinhou a associação.

Também os custos de rescisão, para quem quer desistir do contrato antes do final do prazo, não são claros de acordo com a Deco, avançando que as operadoras limitam-se a cobrar sobre as vantagens que dizem oferecer, fazendo uma valorização das mesmas e acabando por continuar a penalizar quem quer ou precisa de desistir antes do final do contrato.

De acordo com a Deco, com a entrada em vigor da nova lei, a 17 de julho passado, surgiu uma nova marca que deu resposta à sua principal reivindicação de reduzir o período máximo de fidelização e diminuir os encargos de rescisão antecipada: a Nowo.

Lusa

  • Primeiro-ministro agradece sacrifícios dos portugueses
    0:46

    Economia

    O primeiro-ministro diz que os números do INE em relação ao défice de 2016 são prova de que havia uma alternativa e deixou uma palavra de agradecimento aos portugueses. As declarações de António Costa foram feiras aos jornalistas em Roma, onde se encontra para assinalar no sábado os 60 anos da União Europeia.

  • Jerónimo diz que UE vai continuar a causar constrangimentos a Portugal
    0:35

    Economia

    Esta sexta-feira na inauguração de uma exposição em Almada que denuncia a precariedade dos postos de trabalho, Jerónimo de Sousa falou sobre o défice de 2016. Para o secretário-geral do PCP, apesar do Governo ter ido além do exigido por Bruxelas, a União Europeia vai continuar a impedir Portugal de crescer.

  • Enfermeiros desconvocam greve

    País

    O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) desconvocou esta sexta-feira a greve geral nacional marcada para quinta e sexta-feira da próxima semana, anunciou o presidente da estrutura, justificando com os compromissos assumidos pelo Ministério da Saúde.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Probido fumar na praia? Não-fumadores aplaudem ideia
    1:33

    País

    O Comissário Europeu da Saúde defende uma proibição total do consumo de tabaco no espaço público. Esta e outras medidas foram defendidas, ontem, na Conferência Tabaco e Saúde da Liga Portuguesa Contra o Cancro. 

  • Visitar o Titanic vai custar 97 mil euros por pessoa

    Mundo

    Uma viagem a bordo do Titanic em 1912 era considerada uma viagem de luxo. Mais de 100 anos depois, continua a ser um luxo visitar o Titanic. Em 2018, vai ser possível conhecer os restos daquele que em tempos foi o maior navio do mundo. Contudo, nem todos vão poder fazê-lo, pois a viagem irá custar cerca de 97 mil euros por pessoa.