sicnot

Perfil

Economia

Estado devolveu mais dinheiro do IRS mas demorou mais a pagar

© Leonhard Foeger / Reuters

O Estado devolveu mais dinheiro aos contribuintes na entrega do IRS de 2015 mas demorou mais a pagar. Segundo o balanço do Ministério das Finanças, o valor total de reembolsos foi de 2,3 mil milhões de euros, uma subida de mais de 300 milhões em comparação com o ano anterior. O Ministério de Mário Centeno admite que as alterações nas regras de entrega do IRS provocaram alguns atrasos nos prazos. O tempo médio de reembolso do de 48,5 dias, quando no ano anterior tinha sido de 43,5.

Em comunicado, o Ministério das Finanças refere que, até 31 de agosto, foram entregues cinco milhões de declarações, das quais 95% recebidas através da internet, mais 5% do que no ano anterior.

No último dia de agosto (prazo legal para as liquidações), segundo o ministério, estavam liquidadas 99,7 % das declarações, incluindo as entregues fora do prazo.

De acordo com o comunicado, deram origem a reembolso 2,6 milhões das declarações e foram emitidas 746 mil notas de cobrança. O valor total de reembolsos ascendeu a 2,3 mil milhões de euros, o que se traduz num acréscimo face ao valor registado em 2015, na ordem dos 344 milhões de euros.

As notas de cobrança representaram um valor liquidado de 1,2 mil milhões de euros, um decréscimo de 107 milhões de euros face ao ano anterior.

Segundo a nota do Ministério, a aplicação, pela primeira vez, de novas regras de liquidação do imposto levou a que os prazos de liquidação, reembolso e emissão de notas de cobrança tivesse registado algum aumento face aos anos anteriores.

O tempo médio de pagamento de reembolso situou-se nos 48,5 dias, face a 43,5 dias registados em 2015 e aos 40,55 dias registados em 2014, revelou o ministério.

No período oficial de entrega de declarações foram registados 28.148.495 acessos à área do IRS, no Portal das Finanças, dos quais resultaram 55.904.854 operações realizadas por contribuintes ou contabilistas certificados.

No último dia de agosto, estavam liquidadas 99,7% das declarações, incluindo as entregues fora do prazo, números que convergem com os de anos anteriores.

De acordo com o ministério, tendo em conta a prioridade conferida aos reembolsos, um número significativo de notas de cobrança foi emitido com um prazo de pagamento posterior ao prazo normal de 31 de agosto.

Segundo as informações do ministério, o valor das notas de cobrança nesta situação é de 594 milhões de euros, um acréscimo de 359 milhões de euros face ao ano anterior.

Face aos problemas identificados já no fim de 2015 com o preenchimento automático das despesas dedutíveis, foi introduzida a possibilidade de os sujeitos passivos substituírem os valores das deduções pré-preenchidos pela Autoridade Tributária através do sistema e-fatura.

A aplicação do prazo para opção pela tributação conjunta apanhou desprevenidos muitos contribuintes que, ao entregarem as suas declarações fora de prazo, se viram privados da opção por aquele regime de tributação.

Com Lusa

  • Governo garante posição de princípio contra mexidas nos cinco escalões do IRS
    2:30

    Economia

    Sobre as alterações no IRS, uma mexida nos escalões significa uma perda de receita de centenas de milhões de euros. Fontes do governo garantiram à SIC que nada está fechado, mas que há uma posição de princípio contra mexidas nos cinco escalões atuais. Do lado dos parceiros, em particular do PCP, há avisos sobre o pacote fiscal e sobre o aumento das pensões.

  • Catarina Martins insiste que IRS deve ser mais progressivo
    0:55

    Economia

    Catarina Martins insiste que o IRS deve ser mais progressivo para proteger quem tem menores salários. Na reação à manchete do Expresso, que dá conta de que as famílias com maiores rendimentos podem vir a pagar menos impostos por via do fim da sobretaxa, a coordenadora do Bloco de Esquerda sublinha apenas que a medida era uma promessa eleitoral que tem que ser cumprida.

  • A Verdade sobre a Mentira
    35:13
  • Elemento dos Super Dragões com medida de coação mais gravosa
    1:37

    Desporto

    Os seis arguidos da Operação Jogo Duplo, que investiga crimes de corrupção e viciação de resultados na II Liga de futebol, saíram em liberdade. A medida de coação mais gravosa é para um membro da claque Super Dragões, que terá de pagar uma caução de 5 mil euros.

  • "A Venezuela sofreu um Madurazo"
    0:32
  • "Leiam os meus lábios. Não!"
    0:12

    Mundo

    Vladimir Putin participou esta quinta-feira numa conferência, no Ártico. Questionado sobre se a Rússia tinha interferido nas últimas eleições dos Estados Unidos da América, o Presidente voltou a negar qualquer interferência, com uma frase que pensava pertencer a Ronald Reagan, mas que na verdade foi proferida por George Bush.

  • A provocação de Juncker a Trump
    0:40

    Mundo

    Jean-Claude Juncker lançou esta quinta-feira uma provocação a Donald Trump. No último dia do congresso do PPE, o presidente da Comissão Europeia disse que, se Trump incentivar outros países a sair da União Europeia, ele próprio vai apoiar a independência do Ohio e do Texas