sicnot

Perfil

Economia

Mais de dois terços do combustível vendido é simples

Mais de dois terços do combustível vendido em julho nos postos de abastecimento nacionais foi simples, com os hipermercados a perderem quota de mercado para os postos tradicionais, segundo a Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis (ENMC).

De acordo com a radiografia ao mercado publicada hoje pela ENMC, relativa ao mês de julho, 68,1% do gasóleo comercializado foi simples (sem aditivos), contra 31,90% de aditivado, e na gasolina 67,84% vendida foi simples, face a 24,62% de gasolina aditivada.

No mesmo mês, as três principais marcas - Galp, BP e Repsol - venderam 60% do combustível, seguidas pelas 'outras marcas', que representaram 21% das vendas, enquanto os postos dos hipermercados aparecem na terceira posição, com 18,83% do combustível vendido.

Antes da introdução dos combustíveis simples, os postos de abastecimento dos hipermercados chegaram a liderar o mercado dos combustíveis, com uma quota superior a 30%, ultrapassando inclusive o líder de mercado, a Galp Energia, segundo dados fornecidos pela Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED).

O combustível simples, que desde 17 de abril de 2015 é obrigatoriamente vendido em todos os postos de abastecimento, é aquele que sai diretamente da refinaria para o consumidor, sem qualquer aditivação.

Lusa

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".