sicnot

Perfil

Economia

Plano de cortes do CaixaBank para o BPI pode encorajar outros bancos, diz Fitch

© Reuters

A Fitch considera que a desblindagem dos estatutos no BPI é positiva para o sistema bancário português, porque ao permitir a implementação de um plano de racionalização, anunciado em abril, poderá encorajar outros bancos a fazer o mesmo.

Na semana passada, os acionistas do BPI aprovaram a alteração de estatutos do banco, pondo fim à limitação dos direitos de voto e abrindo caminho ao sucesso da Oferta Pública de Aquisição (OPA), lançada pelo maior acionista do banco, o CaixaBank, que apesar de deter 45,5% do banco, tinha direitos de voto de 20%.

"O levantamento do teto nos direitos de voto do CaixaBank no BPI é positivo para os bancos portugueses, porque representa um passo importante no processo de OPA que, se tiver sucesso, vai permitir aos novos donos implementar um plano de racionalização, que poderá encorajar outros bancos a seguir o exemplo", afirma a agência de rating Fitch, num comunicado enviado às redações.

Para os analistas da agência, o plano de racionalização do CaixaBank para o BPI, apresentado em abril, aquando o lançamento da OPA, e que prevê o corte de custos operacionais em 13% no fim do terceiro ano de integração, "é positivo" não só para o banco, mas para o setor.

"Manter a eficiência dos custos num ambiente de taxas de juro persistentemente baixas é essencial para os bancos portugueses, sobretudo porque o crescimento económico deve abrandar na segunda metade de 2016 e 2017", defende a Fitch.

Isto numa altura em que a banca portuguesa opera num "ambiente difícil" para reforçar capital e atingir "níveis adequados" de rentabilidade, bem como pela "fraca qualidade dos ativos".

A agência de rating considera que "assim que o CaixaBank tiver o controlo total do BPI será mais fácil implementar alterações que são essenciais para impulsionar os proveitos e fortalecer o perfil de crédito do banco".

Uma vez que a desblindagem dos estatutos era uma pré-condição para a OPA, a Fitch entende que "há uma elevada probabilidade" de que o processo se conclua, lembrando que ainda é necessária a aprovação do Banco Central Europeu (BCE), e dos reguladores portugueses e angolanos, "que não devem levantar objeções".

O sucesso da OPA "terá implicações positivas no rating atribuído ao BPI no curto e no médio prazo", com a Fitch a admitir que uma subida do rating até "dois níveis abaixo do CaixaBank".

Há quase dois anos que os principais acionistas do BPI, o CaixaBank e a angolana Santoro, protagonizam um conflito, que se agudizou no início deste ano, inicialmente sobre a redução da exposição do banco a Angola, obrigatória pelo BCE, mas que se estendeu também à estratégia para futuro do banco.

Esse conflito veio pôr em evidência a regra dos estatutos do banco que limita a 20% os direitos de voto, independentemente da participação social de cada acionista, uma vez que devido a ela o CaixaBank, com mais do dobro do capital, tinha praticamente o mesmo poder dos parceiros angolanos.

Depois da desblindagem dos estatutos, o CaixaBank ficou obrigado a lançar uma nova OPA sobre a totalidade do capital do BPI, melhorando o preço face à anterior oferta, de 1,113 euros por ação para 1,134 euros por ação.

Lusa

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa. A Direção-Geral de Saúde vai divulgar ainda esta terça-feira as normas de orientação clínica para que os médicos possam lidar da melhor maneira com este surto.

  • Bruno de Carvalho e Octávio Machado suspensos

    Desporto

    O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e o diretor-geral para o futebol, Octávio Machado, foram esta terça-feira suspensos pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência de uma queixa apresentada pelo Benfica em novembro de 2015.

  • Corredora exausta é levada ao colo até à meta na meia maratona do amor
    1:06

    Mundo

    Aconteceu este domingo em Filadélfia, EUA. A poucos metros da meta uma corredora exausta é amparada por dois colegas. Mas o cansaço é tanto que fica sem força nas pernas. É quando aparece a terceira ajuda. Um homem volta para trás e leva-a no colo até à meta. A centímetros do fim larga-a para que a corredora possa atravessar a meta pelo seu próprio pé.

    Patrícia Almeida

  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho