sicnot

Perfil

Economia

Rússia congratula-se com acordo na OPEP mas não reduz produção

O ministro da Energia russo, Alexandre Novak, disse esta quinta-feira que o acordo alcançado pela Organização de Países Produtores de Petróleo (OPEP) para reduzir a produção é "uma decisão muito positiva", mas que a Rússia não tenciona fazer o mesmo.

"Ontem (quarta-feira) houve uma decisão muito positiva", afirmou, em declarações transmitidas na televisão, acrescentando que o acordo vai ajudar "a reduzir a volatilidade dos preços" e que a Rússia quer manter a produção "no nível atual".

"Tudo dependerá da situação macroeconómica e dos planos das empresas, mas estamos concentrados na manutenção dos níveis de produção atuais", declarou o responsável russo, precisando que se trata de uma "princípio básico que já foi discutido".

Os Estados-membros da OPEP concordaram, em Argel, em reduzir a produção de crude em 750 mil barris por dia.

A decisão foi tomada numa reunião informal da organização, esperando-se que após a reunião da OPEP prevista para novembro em Viena sejam divulgados mais detalhes sobre os objetivos.

A Rússia, um dos principais exportadores de petróleo, não faz parte da OPEP.

Na semana passada, Moscovo anunciou que a sua produção de petróleo atingiu em setembro níveis recorde, ultrapassando 11 milhões de barris por dia.

Segundo Alexandre Novak, a Rússia vai ficar atenta "às propostas que serão examinadas nos próximos meses" e continuar as conversações com outros países, esperando que o preço do barril de petróleo possa estabilizar nos 50-60 dólares "para satisfazer os interesses de produtores e de consumidores".

Lusa

  • OPEP anuncia acordo para limitar produção petrolífera

    Economia

    A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) decidiu impor limites à produção. A consequência deste acordo teve desde logo efeito nos mercados. Os preços do petróleo dispararam. Em Londes, subiram seis e meio por cento e em Nova Iorque cerca de 5%. O acordo para limitar a produção de matérias-primas a 32,5 milhões de barris por dia foi anunciado esta quarta-feira. Um acordo desta natureza não acontecia há oito anos.

  • 6 polícias feridos e 4 detidos em manifestação pela morte de português em Londres
    1:29

    Mundo

    A manifestação começou ainda durante a tarde deste domingo, na capital britânica e culminou em violência, com 6 polícias feridos, 4 pessoas detidas e a evacuação de uma das principais estações de transportes da zona leste da Londres. Os manifestantes acusam a polícia britânica de agressão na noite de 15 de junho, quando um português, de 25 anos, foi mandado parar pela polícia. O jovem acabou por morrer no hospital 5 dias depois.

  • Novo avião da TAP a lembrar o passado
    1:32
  • Avião cruza-se com drone a 900 metros de altitude
    2:01

    País

    Um avião da TAP voltou a cruzar-se este domingo com um drone, enquanto se preparava para aterrar no aeroporto de Lisboa. A aproximação deu-se a 900 metros de altitude e passou muito perto da asa da aeronave. Este é o 10.º incidente com drones este ano e o 6.º este mês.

  • Os russos adoram Portugal
    2:48

    Taça das Confederações

    Os portugueses que foram à Rússia para a Taça das Confederações ficaram surpreendidos pela forma calorosa com que todos foram recebidos. Cristiano Ronaldo é o grande responsável por esta paixão pelo nosso país.

    Enviados SIC

  • Naufrágio na Colômbia registado em vídeo
    2:11

    Mundo

    Um barco de turismo naufragou na Colômbia, ontem à tarde. A bordo estavam cerca de 170 passageiros. Há pelo menos seis mortos confirmados e 28 pessoas continuam desaparecidas. O barco afundou-se ao largo de uma barragem, perante o olhar incrédulo de dezenas de pessoas.

  • O último adeus a Miguel Beleza

    País

    O velório do economista e ex-ministro das Finanças realiza-se esta segunda-feira na Igreja do Campo Grande, em Lisboa, a partir das 18h00.