sicnot

Perfil

Economia

Proprietários lisbonenses defendem alívio fiscal do alojamento habitacional

O presidente da Associação Lisbonense de Proprietários (ALP) afirmou este sábado que, "a haver alguma convergência" entre os regimes fiscais do arrendamento local e habitacional, "deveria fazer-se pela redução da tributação do alojamento habitacional".

O Expresso noticia hoje que o Governo está a avaliar o aumento da tributação sobre o arrendamento local, que atualmente é de 5%, por forma a aproximá-lo ao regime que vigora para o arrendamento habitação, cuja taxa de IRS suportada pelos proprietários é de 28%.

Em causa está o diferente tratamento fiscal atualmente em vigor: um proprietário que arrende a casa para habitação permanente tem de entregar 28% da renda ao Estado em sede de IRS, ao passo que um proprietário que tenha a casa registada no regime de alojamento local (que inclui, por exemplo, os arrendamentos de curta duração feitos a turistas) é tributado a uma taxa de 5%.

Em declarações à Lusa, o presidente da ALP, Luís de Menezes Leitão disse desconhecer qualquer proposta em concreto sobre esta questão, mas defendeu que, "a haver alguma convergência, esta deveria fazer-se pela redução da tributação do alojamento habitacional".

Reconhecendo que "há grandes disparidades" entre a tributação dos alojamentos local e habitacional, Menezes Leitão entende que "essa eventual harmonização deverá fazer-se bela baixa da tributação do alojamento habitacional".

Para o presidente da ALP, um eventual agravamento da tributação sobre o alojamento local "vai pôr em causa o negócio", uma vez que este "tem custos administrativos que não existem no alojamento habitacional", como sejam os serviços de limpeza, receção ou outros serviços de apoio.

Na semana passada, em entrevista à TSF e ao Dinheiro Vivo, a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, afirmou que "o alojamento de curta duração teve um crescimento exponencial" e que, "como qualquer fenómeno que cresce, precisa de alguns ajustes", sublinhando que "a própria lei tem algumas incongruências, mesmo em termos de requisitos, como de higiene ou segurança", e que há "alguma necessidade de afinar e regular".

Questionada sobre quando prevê realizar estas alterações, Ana Mendes Godinho apontou para 2016: "O meu compromisso foi até ao final do ano termos estes tais ajustes e alterações, mas muito partilhados entre os operadores do alojamento local e de hotelaria tradicional".

Contactadas pela Lusa, fontes dos ministérios das Finanças e da Economa escusaram-se a prestar esclarecimentos sobre esta matéria.

Lusa

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • "O futuro da Autoeuropa não está em causa"
    0:43

    Economia

    O secretário de Estado do Trabalho apelou a que os partidos não se intrometam nas negociações entre os trabalhadores e a administração da Autoeuropa. Em entrevista à Edição da Noite da SIC Notícias, Miguel Cabrita afastou a hipótese de estar em causa o encerramento da fábrica de Palmela.