sicnot

Perfil

Economia

IGCP prevê fazer um a dois leilões de Obrigações do Tesouro até ao final do ano

O IGCP anunciou esta segunda-feira que prevê realizar no quarto trimestre deste ano um a dois leilões de Obrigações do Tesouro (OT), sendo esperadas colocações de 750 a 1.000 milhões de euros por operação.

O IGCP - Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública divulgou esta segunda-feira em comunicado as Linhas de Atuação para o quarto trimestre, durante o qual "prevê a realização de um a dois leilões de OT, sendo esperadas colocações de 750 a 1.000 milhões de euros por leilão".

Os leilões terão a participação dos Operadores Especializados de Valores do Tesouro e Operadores de Mercado Primário e poderão ser realizados na segunda, quarta ou quinta quarta-feira de cada mês, após anúncio do montante indicativo e linhas de OT a reabrir até três dias úteis antes da respetiva data de leilão, explica o IGCP.

No que respeita aos Bilhetes do Tesouro (BT), a 19 de outubro está prevista a reabertura de uma linha a três meses e de outra a 11 meses, com um montante indicativo entre 750 e 1.000 milhões de euros.

Para 16 de novembro está prevista a reabertura de uma linha a seis meses, bem como o lançamento de uma linha de BT a 12 meses, sendo o montante indicativo entre os 1.500 e 1.750 milhões de euros.

Em dezembro, para o dia 7, estão previstas as reaberturas de uma linha a três meses e de outra a 11 meses, com um montante indicativo entre 750 e 1.000 milhões de euros.

O IGCP afirma ainda que "acompanhará ativamente a evolução das condições de mercado, podendo introduzir ajustamentos às presentes linhas de atuação".

Lusa

  • Braga perde com Shakhtar e fica fora dos 16 avos de final da Liga Europa
    3:16
  • Ronaldo não está preocupado com repercussões de eventual fuga fiscal
    1:30

    Football Leaks

    Cristiano Ronaldo diz que quem não deve não teme. O avançado português não se mostra preocupado com as notícias que revelam que o jogador não terá declarado os rendimentos da publicidade ao fisco espanhol. Fontes do Ministério das Finanças do país vizinho confirmaram ao jornal El Mundo que o português está a ser investigado há ano e meio.

  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalam-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.