sicnot

Perfil

Economia

Costa garante que quem deve vai ter que pagar

Costa garante que quem deve vai ter que pagar

O primeiro-ministro garante que não vai haver qualquer perdão de dívidas ao fisco e à Segurança Social. António Costa diz que se trata apenas de um incentivo e assegura que "quem deve, vai ter de pagar". O PSD acusa o Governo de pôr em prática um programa que criticou quando foi aplicado pelo Executivo anterior e insiste que o único objetivo é encaixar receita para conseguir cumprir o défice.

  • "Quem deve vai ter que pagar"
    0:39

    Economia

    O primeiro-ministro, António Costa, garantiu hoje que o novo programa de incentivo ao pagamento das dívidas ao fisco e à Segurança Social é um alívio para as empresas, mas não é um perdão fiscal.

  • "Parece-me óbvio que o Governo precisa de arrecadar dinheiro"
    4:38

    Opinião

    Sobre o novo plano do Governo para pagamento de dívidas ao Fisco e à Segurança Social, Bernardo Ferrão diz "na prática mantém-se a dívida e por isso não é um perdão fiscal". Mas o subdiretor de Informação da SIC considera também que o Governo de António Costa faz esta medida para "agradar Bruxelas e porque precisa".

  • O que dizem os partidos sobre as facilidades fiscais
    1:26

    Economia

    O PS insiste que não há perdão fiscal e que a Galp será tratada como qualquer outro contribuinte. Os partidos mais à esquerda esperam que pequenos e grandes contribuintes tenham um tratamento diferente. Já o CDS quer mais esclarecimentos sobre a situação da Galp.

  • Perdão fiscal não abrange os 100 milhões de euros que a Galp deve ao Estado
    2:30

    Economia

    O Ministério das Finanças garante que o perdão fiscal exclui os 100 milhões de euros que a Galp deve ao Estado. Este dinheiro faz parte de uma contribuição extraordinária que a empresa nunca pagou, mas que fica fora deste plano. O esclarecimento surgiu depois da polémica gerada pelas explicações do secretário de Estado Rocha Andrade no Parlamento. O PCP, BE e PEV queriam que os grandes grupos económicos fossem excluídos.

  • Nunca mais
    9:16