sicnot

Perfil

Economia

Produção autómovel continua a descer e setor critica lei portuguesa

O setor da construção automóvel registou em Portugal uma nova descida (-10,3%), pelo nono mês consecutivo, continuando "marcado por alguma instabilidade dos ritmos de produção", segundo um comunicado esta quarta-feira divulgado pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

A ACAP indicou que, em setembro, as várias unidades industriais da VW Autoeuropa, Peugeot Citroen, Mitsubishi Fuso Truck Europe e Toyota Caetano produziram no total 12.330 veículos, traduzindo uma queda de -16,3% relativamente ao período homólogo do ano anterior.

A propósito destas quedas na produção, a ACAP refere a "ausência de mecanismos" legais que "permitam uma maior flexibilização dos ritmos de trabalho".

"A produção automóvel é fortemente condicionada pela sazonalidade das encomendas, uma tendência que tem vindo a ser sentida pelas várias empresas a operar em território nacional, e que se veem em clara desvantagem competitiva em termos internacionais", lê-se no comunicado.

A associação argumenta ainda que o "défice de competitividade" no setor "afeta toda a economia", por ser responsável por 4,4% do Produto Interno Bruto (PIB), 6,5% do emprego da indústria transformadora e 12,5% das exportações nacionais.

No mês passado, a ACAP assinalou uma quebra na produção de automóveis ligeiros de passageiros (23,2%) e de veículos pesados (-7,8%), havendo uma subida na produção de veículos comerciais ligeiros (4,4%).

Do total dos veículos produzidos, 97,5% destinaram-se à exportação, embora com um decréscimo de 15,6% face a igual mês do ano anterior.

Relativamente aos valores acumulados, nos nove primeiros meses de 2016, foram produzidos em Portugal 109.489 veículos automóveis, o que reflete uma diminuição de -10,3% no período homólogo de 2015, com a seguinte distribuição por categorias e tipos: 75.197 automóveis ligeiros de passageiros (-17,8% que em igual período do ano anterior), 31.183 veículos comerciais ligeiros (11,6%) e 3.109 veículos pesados (+15,6%).

Até setembro, as exportações nacionais ascenderam a 104.131 veículos, ou seja, menos 11,4% numa comparação homóloga do ano anterior, tendo representado 95,1 por cento do total da produção nacional.

Portugal exportou sobretudo para a Alemanha (23,3%) e para Espanha (16,3%).

Por regiões de destino, a Europa absorveu 90,7% das exportações nacionais de veículos automóveis, seguindo-se a Ásia (6,9%), com a China a dominar neste continente (6,3%). O continente africano adquiriu 1,9% das exportações nacionais.

Lusa

  • Morreu Miguel Beleza, antigo ministro das Finanças e governador do BdP
    1:34
  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.