sicnot

Perfil

Economia

"Temos tantos interessados quanto os contratos de confidencialidade"

O presidente do Novo Banco, António Ramalho, congratulou-se hoje com a existência de vários interessados na compra do banco, mas refugiou-se na confidencialidade para recusar confirmar se os chineses da China Minsheng formalizaram já uma proposta.

"Não vale a pena confirmar porque não sou o vendedor. O Fundo de Resolução é que pode confirmar", disse o presidente do Conselho de Administração do Novo Banco, à saída da Conferência "Igualdade de Género & Igualdade no Ensino", em Lisboa.

"A única coisa que podemos confirmar é que temos tantos interessados quanto os contratos de confidencialidade que assinámos", acrescentou, repetindo que vê "sempre com muito gosto" informações sobre interessados no banco.

"Achamos que o banco é, de facto, um banco com qualidade e a existência de vários interessados [na sua compra] entusiasma-nos", concluiu.

O jornal Público noticiou hoje que o Banco de Portugal (BdP), que gere o Novo Banco, terá recebido "nos últimos dias" uma proposta da China Minsheng para comprar mais de 50% do Novo Banco (com dispersão das ações sobrantes em bolsa e aumento de capital) e que essa via chinesa é o Plano B do BdP, que admite dispersão do capital em bolsa.

Quanto a esta proposta, o presidente do Novo banco comentou: "A minha reocupação é manter os contratos de confidencialidade dos acordos que assinei. Qualquer grupo [interessado na compra do banco] será muito bem tratado do ponto de vista informativo e do ponto de vista de todo o esforço que o Conselho de Administração possa dar para demonstrar a qualidade do banco".

Também numa entrevista divulgada hoje pelo Diário de Notícias e pela TSF, o primeiro-ministro, António Costa, confirmou existir uma nova proposta de um grupo chinês para comprar o Novo Banco.

"Sei em concreto que durante estes cinco dias em que estive cá [na China] foi apresentada uma nova proposta de aquisição do Novo Banco por uma instituição financeira chinesa", disse, adiantando que "esse é um processo que decorre, neste momento, sob a alçada do Banco de Portugal, ao qual compete apreciar as diferentes propostas e que haverá de fazer uma proposta final ao governo".

Lusa

  • Fogo em Sabrosa entrou em fase de resolução

    País

    O incêndio que deflagrou terça-feira em Vilela do Douro, Sabrosa, distrito de Vila Real, entrou a meio da manhã de hoje em fase de resolução, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

  • Governo garante reforço das verbas para defesa da floresta até ao fim do ano
    2:37

    País

    O Governo rejeitou centenas de candidaturas com projetos para a prevenção de incêndios florestais, por falta de verbas. Perante a situação, o Bloco de Esquerda questionou o Ministério da Agricultura sobre as reprovações. Contudo, contactado pela SIC, o ministro Capoulas Santos garantiu que o programa de desenvolvimento rural está a ser reajustado e, até ao final do ano, está previsto o reforço de verbas.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.