sicnot

Perfil

Economia

Américo Amorim deixa a presidência do CA da Galp e é substituído pela filha

O empresário Américo Amorim deixa a presidência do Conselho de Administração (CA) da Galp Energia, por motivos pessoais, e é substituído pela filha Paula Amorim, que até agora era vice-presidente daquele órgão.

Em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Galp informou que Américo Amorim apresentou a renúncia ao cargo por motivos pessoais, tendo hoje sido designada como presidente Paula Amorim, que até à data exercia funções de vice-presidente do CA, órgão que integra desde 2012.

"Ao longo dos últimos dez anos, o senhor Américo Amorim ajudou a empresa a alcançar os seus objetivos, com o seu compromisso, talento e espírito empreendedor", destaca a petrolífera no comunicado ao mercado.

A vice-presidência será assumida por Miguel Athayde Marques, que atualmente era membro independente daquele órgão.

Ao mesmo tempo, Marta Amorim - também filha de Américo Amorim - passará a integrar o CA da Galp Energia.

A designação da Presidente do CA e a cooptação de um novo membro deste órgão estão sujeitas ainda a ratificação na próxima assembleia-geral de acionistas da Galp Energia.

Paula Amorim também preside ao CA do grupo A. Amorim, e é membro do CA da Amorim Energia, BV, tendo trabalhado junto de Américo Amorim durante mais de 25 anos.

Lusa

  • Passos explica porque se sentiu irritado com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o Presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas de que foi alvo.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.