sicnot

Perfil

Economia

Marcelo agradece contributo dos portugueses na Suíça para a economia portuguesa

O Presidente da República agradeceu hoje o contributo dos portugueses residentes na Suíça para a economia portuguesa, referindo que, "no ano passado, esta foi a segunda maior comunidade do mundo a apoiar a economia portuguesa".

Marcelo Rebelo de Sousa deixou esta mensagem durante um encontro com representantes da comunidade portuguesa na Suíça, num pavilhão de hóquei no gelo, em Genebra.

Como já tinha feito em Paris, o chefe de Estado afirmou, perante as centenas de emigrantes portugueses presentes neste encontro, que "Portugal é o maior e melhor país do mundo", e acrescentou que não é "um país do passado", mas "um país do futuro".

O Presidente da República apontou a comunidade portuguesa na Suíça como "um exemplo de integração" e declarou que "isso é um motivo de orgulho para Portugal".

Os portugueses ocupavam a maioria de uma das bancadas laterais do pavilhão, onde também se sentou o Presidente da República, tendo ao seu lado um dos membros do Conselho de Estado do Cantão de Genebra, Luc Barthassat.

Marcelo Rebelo de Sousa esteve constantemente a sair do seu lugar para conversar e tirar fotografias com os portugueses, e Luc Barthassat registava o convívio com o seu telemóvel.

Depois de discursar no meio da pista de gelo, o chefe de Estado disse que "não se sente o gelo, porque o calor humano criado pelos portugueses surpreende até os suíços".

"As autoridades suíças aqui presentes estão estupefactas, depois de conviverem com portugueses há tanto tempo, ainda se admiram com o calor que nós temos", observou.

Em declarações aos jornalistas, Marcelo Rebelo de Sousa adiantou que a dimensão da comunidade portuguesa na Suíça, de cerca de 300 mil pessoas, foi uma das razões para ter sido convidado para fazer uma visita de Estado a este país.

"Foram convidados com primazia os presidentes de Estados com grandes comunidades, o caso da França, o caso da Alemanha, o caso de Portugal", referiu.

Acompanham o Presidente da República nesta visita o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e o secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, que viajaram com o chefe de Estado, em voo militar.

Estiveram também presentes neste encontro com a comunidade portuguesa o líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães e os deputado Carlos Gonçalves, do PSD, Júlia Rodrigues, do PS, Carla Cruz, do PCP, e Sandra Cunha, do Bloco de Esquerda.

Antes da intervenção do Presidente, houve um desfile de ranchos folclóricos e atuações dos grupos musicais Os Cavaquinhos do Centro Lusitano de Zurique e Tuna Helvética, e ouviram-se os hinos nacionais da Suíça e de Portugal, que foi entoado em coro.

Lusa

  • PJ faz buscas no Benfica sobre o caso dos emails

    Desporto

    A Polícia Judiciária está a fazer buscas em instações no Benfica devido ao caso dos emails divulgado pelo diretor de comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques. Contactado pela SIC, o clube da Luz disse primeiro desconhecer a ação, mas mais tarde confirmou a presença da PJ.

    Em atualização

  • Governo prepara pacote de medidas para matas ardidas

    País

    O Governo vai preparar um pacote de medidas para as matas nacionais afetadas pelos incêndios, que passa pela elaboração de um relatório de ocorrências, por um programa de intervenção e pela aplicação da receita da madeira nessas matas.

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • Acabou o estado de graça

    Sá Carneiro dizia que qualquer Governo tem direito a um estado de graça de 100 dias. E que, depois disso, já não tem margem para deitar culpas ao Governo anterior. O discurso de Marcelo, no terreno, junto das vítimas, e não na torre de marfim de Belém, marca o tal "novo ciclo" que o Presidente há muito tinha anunciado, com data marcada: depois das autárquicas.

    Pedro Cruz

  • "O primeiro-ministro falhou em toda a linha"
    4:36

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares não acredita que a ministra da Administração Interna se despediu: "ela foi demitida pela Presidente ontem à noite publicamente". No Jornal da Noite, esta quarta-feira, o comentador da SIC declarou que o primeiro-ministro "falhou em toda a linha" e questionou se António Costa tinha a "coragem política de fazer o que é preciso". Sobre os incêndios, Miguel Sousa Tavares disse ainda que o maior problema não era haver reacendimentos, mas sim "não serem logo apagados e propagarem-se".

    Miguel Sousa Tavares

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07
  • Leiria perdeu 80% do Pinhal nos incêndios
    1:51
  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51
  • "O povo exige um novo ciclo"
    1:10

    Tragédia em Pedrógão Grande

    A Associação de Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande exige que o primeiro-ministro faça um pedido de desculpas público às famílias das vítimas dos incêndios. A Presidente da Associação pede ainda a demissão do comando da Autoridade Nacional de Proteção Civil. Após a reunião desta quarta-feira com António Costa, Nádia Piazza anunciou que o Governo assume as mortes de junho passado e chegou a acordo com os familiares das vítimas.

  • Há um novo livro de Astérix

    Astérix

    Dois anos depois do último álbum, chega hoje às livrarias a 37ª aventura de Astérix. Em "Astérix e a Transitálica", os gauleses rumam à Península Itálica.