sicnot

Perfil

Economia

China terá 5 mil comboios a viajar entre o país e a Europa em 2020

Reuters

Cerca de 5 mil comboios de mercadorias deverão viajar anualmente entre a China e a Europa, em 2020, segundo um plano anunciado hoje pela Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, o principal organismo de planeamento económico da China.

Trata-se de três rotas - leste, centro e oeste -, que permitirão ligar não só o país asiático e a Europa, mas também o leste e o sudeste da Ásia, revelou o organismo, citado pela agência oficial Xinhua.

Segundo a agência chinesa, a procura pelo transporte ferroviário entre a Europa e a China tem "explodido nos últimos anos", servindo de alternativa à "morosidade e riscos inerentes ao transporte marítimo", e ao "alto custo do transporte aéreo".

Cerca de 43 plataformas de transporte serão criadas ao longo das três rotas, refere o mesmo plano, que inclui ainda a construção de 43 linhas ferroviárias.

O desenvolvimento de ligações ferroviárias, incluindo uma malha de Alta Velocidade, faz parte da iniciativa "Uma Faixa e Uma Rota".

Com esta iniciativa, lançada em 2013 pelo Presidente chinês, Xi Jinping, Pequim propõe um plano de infraestruturas que pretende reativar a antiga Rota da Seda entre a China e a Europa através da Ásia Central, África e sudeste Asiático.

Segundo o Governo chinês, este plano abrangerá 65 países e 4,4 mil milhões de pessoas, cerca de 60% da população mundial.

No primeiro semestre deste ano, 1.881 comboios viajaram entre a China e a Europa, de acordo com a Xinhua.

A União Europeia é o maior parceiro comercial da China e, em 2015, o comércio bilateral fixou-se em 3,51 biliões de dólares (3,18 biliões de euros).

  • 950 militares cercam a Rocinha, no Rio de Janeiro
    2:36
  • Terra volta a termer no México

    Mundo

    Um sismo de magnitude 6,2, na escala de Richter, foi registado às 05h30, hora local, 23h30, em Lisboa. Até ao momento não há registo de vítimas ou danos materiais.

  • Franceses em protesto contra reformas de Macron
    1:04

    Mundo

    O Presidente francês volta hoje a ser alvo de manifestações contra a reforma laboral. Os protestos foram organizados por Jean Luc Melenchon, o candidato da extrema-esquerda que concorreu contra Macron.

  • Tony Carreira em Paris com sala cheia
    2:36

    Cultura

    O cantor Tony Carreira actuou ontem em Paris e teve sala cheia a aplaudir os temas que o tornaram conhecido há quase 30 anos. As recentes acusações de plágio não parecem afectar a popularidade do artista, que vai continuar em tournée. A Sic acompanhou o artista neste concerto.