sicnot

Perfil

Economia

IGCP coloca 1.250 M€ em dívida com juros a subir a 3 meses e a descer a 11 meses

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters (Arquivo)

Portugal colocou hoje 1.250 milhões de euros em Bilhetes de Tesouro a três e 11 meses, tendo a taxa média subido no prazo mais curto e descido no prazo mais longo face aos anteriores leilões comparáveis, foi hoje anunciado.

Segundo a página do IGCP - Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública na Bloomberg, no prazo de 11 meses foram colocados hoje 900 milhões de euros à taxa de juro média de 0,006%, inferior à de 0,007% verificada no leilão precedente desta maturidade. A procura de BT a 11 meses atingiu 1.720 milhões de euros, 1,91 vezes o montante colocado.

Em relação aos BT a três meses, o IGCP colocou 350 milhões de euros a uma taxa de juro média negativa de -0,012%, superior à de -0,108%, verificada no anterior leilão comparável de 17 de agosto. O total de propostas dos investidores para esta maturidade atingiu 1.200 milhões de euros, mais de 3,43 vezes o montante colocado.

Além dos leilões de hoje e de 17 de agosto, a taxa média dos BT a três meses já tinha sido negativa, designadamente -0,004% no leilão desta maturidade em 22 de abril último.

O IGCP tinha anunciado para hoje a realização de dois leilões de Bilhetes do Tesouro, com maturidades em 20 de janeiro de 2017 e 22 de setembro de 2017, e com um montante indicativo entre 1.000 milhões de euros e 1.250 milhões de euros.

Em 17 de agosto, Portugal colocou 1.300 milhões de euros, acima do montante indicativo, em Bilhetes do Tesouro a três e 11 meses a taxas médias inferiores às dos anteriores leilões comparáveis, tendo a do prazo mais curto passado para negativa.

No prazo de 11 meses foram colocados 900 milhões de euros à taxa de juro média de 0,007%, inferior à verificada no anterior leilão comparável de 15 de junho, de 0,146% e a procura atingiu 2.078 milhões de euros, 2,31 vezes o montante colocado.

Em relação aos BT a três meses, o IGCP colocou na mesma data 400 milhões de euros a uma taxa de juro média negativa de -0,108%, também inferior à de 0,075%, verificada no anterior leilão comparável de 15 de junho e o total de propostas dos investidores para esta maturidade atingiu 785 milhões de euros, mais de 1,96 vezes o montante colocado.

  • Chamas passaram por cima da A23
    1:06

    País

    A A23 esteve cortada ao longo do dia por causa do fumo e das chamas. Em direto para a SIC Notícias, perto das 18h30, os repórteres da SIC presenciaram o momento em que o fogo passou por cima da autoestrada da Beira Interior.

  • Várias povoações evacuadas no concelho de Nisa

    País

    Várias povoações do concelho de Nisa, no distrito de Portalegre, foram esta quarta-feira à noite evacuadas, devido à ameaça do incêndio que lavra no concelho, disse à agência Lusa a presidente do município, Idalina Trindade.

  • "Só numa ditadura é possível tentar esconder o número de vítimas"
    0:51

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O primeiro-ministro diz que é "lamentável" a tentativa de aproveitamento político à volta dos incêndios. António Costa esteve esta quarta-feira à tarde na Autoridade Nacional de Proteção Civil e, no final do briefing, disse que é preciso confiança nas instituições do Estado. O primeiro-ministro deixou ainda muitas críticas à oposição no caso da lista de vítimas de Pedrógão Grande.

  • E os 10 mais ricos de Portugal são...

    Economia

    A família Amorim lidera a lista dos mais ricos do país, com uma fortuna avaliada em 3840 milhões de euros. Em segundo lugar surge Alexandre Soares dos Santos com 2532 milhões de euros. A família Guimarães de Mello ainda entra para o top 3, com um valor de 1471 milhões de euros. A lista foi elaborada pela revista EXAME, que conclui que os ricos estão ainda mais ricos, pela quarta vez consecutiva.

    Bárbara Ferreira

  • "Estou grávida! Estou a morrer!"
    1:14