sicnot

Perfil

Economia

Vendas estão a subir entre 10% a 15% este Natal face ao anterior

As vendas na quadra natalícia estarão a subir entre 10% a 15% este ano, comparativamente ao ano anterior, disse à Lusa o vice-presidente da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP).

"As informações que tenho recebido dos vários pontos do país são de que as vendas não estarão muito mal, estarão acima do ano passado, entre 10% a 15%", afirmou Vasco Mello.

"Há uma recuperação do consumo, nomeadamente no calçado, sendo certo que no vestuário e na eletrónica é menor", acrescentou o vice-presidente da confederação.

"O calçado está a ter um bom comportamento", acrescentou, adiantando que a área alimentar também regista uma boa dinâmica.

O período de Natal é capaz de representar, no mínimo, ao dobro das vendas de um mês normal, exemplificou Vasco Mello, adiantando que o peso das vendas nesta quadra depende do setor.

Relativamente a lei dos saldos, cujas novas regras estão em vigor desde 2015, Vasco Mello salientou que "a existência de promoções tem tido alguma influência para o aumento das vendas", mas alertou para a questão da margem comercial.

"Esta famosa lei" levou a uma "diminuição brutal das margens de comercialização", apontou, defendendo que "todo este modelo deve ser repensado".

Com as promoções, "até podem ter mais vendas, mas não sei se os comerciantes ganham mais dinheiro", disse.

Lusa

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.