sicnot

Perfil

Economia

Alterar dias de férias "não está no programa do Governo"

Alterar dias de férias "não está no programa do Governo"

O ministro do Trabalho, Vieira da Silva, confirmou esta manhã que o aumento do número de dias de férias pedido pelos partidos da esquerda não está no programa do Governo.

"Não está no programa eleitoral nem está no programa do Governo. Essa é uma das áreas em que o instrumento apropriado é a negociação coletiva. A negociação coletiva já aumentou o número de dias de férias em alguns setores", afirmou o ministro do Trabalho, em resposta a uma questão colocada na conferência "Eco talks", a decorrer em Lisboa.

O Bloco de Esquerda e o PCP já indicaram que pretendem levar à discussão em janeiro, no parlamento, uma alteração do número de dias de férias por ano para 25 dias, nos setores público e privado, face aos atuais 22 dias.

A legislação prevê, no entanto, que o número de dias de férias por trabalhador pode subir para 25, nomeadamente, tendo por base o desempenho e a assiduidade.

Vieira da Silva salientou, a este propósito, que "o passo dado, associando o número de férias ao absentismo, não foi um passo feliz e são matérias que devem ser tratadas em sede de negociação coletiva".

Com Lusa

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.