sicnot

Perfil

Economia

Água mais cara em Lisboa a partir de janeiro

A água vai ficar mais cara em Lisboa já a partir do mês de janeiro. O aumento médio será de 38 cêntimos na fatura.

O anúncio foi feito pela EPAL, que é reponsável por abastecer cerca de 250 mil pessoas no conselho de Lisboa.

"Para a grande maioria dos clientes domésticos da EPAL, cerca de 85%, o novo tarifário para 2017 vai implicar uma atualização média de 38 cêntimos por mês (para um consumo médio mensal de 8 m3 e um contador de 15mm)", informou, numa nota, a Empresa Portuguesa de Águas Livres.

A empresa lembra que há um desconto para familías carenciadas que pode chegar aos 94% e tarifa especial para agregados com cinco ou mais pessoas.

  • O que vai aumentar em 2017
    2:04

    Economia

    O ano de 2017 vai ser marcado pelo aumento de preços. A recuperação do consumo e os sinais de melhoria económica vão tornar mais caros vários bens e serviços.

  • O perfil do homicida de Barcelos
    2:42

    País

    Adelino Gomes Briote já tinha sido condenado por ofensas à integridade física da sogra e de uma filha. Em seis meses esta foi a segunda vez que o homem acusado do quádruplo homicídio em Barcelos esteve perante a justiça.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.

  • Milhares nas cerimónias fúnebres de dirigente do Hamas

    Mundo

    Milhares de palestinianos participaram nas cerimónias fúnebres de um dirigente do Hamas, assassinado esta sexta-feira, na Faixa de Gaza. Vários homens armados acompanharam o cortejo fúnebre até à mesquita, onde se fizeram as últimas orações.

  • Guerra na Síria não dá tréguas
    1:51

    Mundo

    Na Síria e ao mesmo tempo que decorrem novas negociações de paz, a guerra não dá tréguas. As imagens mostram o resultados dos últimos raides aéreos nos subúrbios de Damasco. O balanço provisório é de mais de 30 mortos e pelo menos 50 feridos.