sicnot

Perfil

Economia

Videojogos portugueses valem entre 6 a 12 M€

ANT\303\223NIO COTRIM

Os videojogos portugueses comercializam-se principalmente no mercado internacional, num volume de negócios que pode oscilar entre 6 e 12 milhões de euros, segundo o 1.º Atlas do setor dos videojogos em Portugal.

No total foram inquiridos 70 agentes, entre 38 empresas e 32 criadores, avançando-se que deverá haver 154 agentes em Portugal, que podem empregar entre 650 e 1200 trabalhadores.

Tentado determinar o volume global de negócios, o estudo apontou para a amostra das empresas inquiridas um "global anual aproximado de 2.100.000 Euros. "Deste modo, estima-se que o volume total de negócios gerado pelas empresas do setor em Portugal se situe num intervalo entre 6 e 12 milhões de Euros".

O estudo revelou que apenas cerca de 20% das empresas declararam ter receitas superiores a 50 mil euros anuais, enquanto 1/3 respondeu ter receitas inferiores a 10.000 euros anuais, "o que não as torna sustentáveis enquanto fontes de emprego".

Três empresas declararam volumes de negócios entre 250 mil e 500 mil euros, com os autores do documento a referirem a recusa de várias em revelarem lucros.

Quanto a criadores, "56% afirmaram terem receitas anuais com a atividade ligada aos videojogos inferiores a 2000 euros".

O estudo indicou que as empresas inquiridas foram responsáveis pelo desenvolvimento de 127 videojogos, dos quais 92% foram comercializados no mercado internacional.

"Este facto deriva da facilidade que existe atualmente em publicar os jogos para plataformas móveis ou PC através das 'app stores' (lojas de aplicações) e do Steam (plataforma online de venda), bem como da reduzida dimensão do mercado nacional", segundo os investigadores do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores - Investigação e Desenvolvimento (INESC-ID) e Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território (CEGOT).

Relativamente às fontes de receita associadas, as empresas citam sobretudo a venda do jogo (65%), seguindo-se vendas dentro do jogo e publicidade ou patrocínio, sendo esta última fonte a mais comum entre os criadores (mais de 50%).

O documento mostrou que os videojogos são um setor económico numa fase ainda emergente, com um tecido empresarial muito jovem, organizado em microempresas, e empregando pessoas com elevada qualificação e forte especialização.

As 38 empresas inquiridas indicaram ter 272 trabalhadores a tempo inteiro, 48 a tempo parcial e 55 em regime de freelancer, pelo que se estima que o "volume total de emprego gerado pelas empresas do setor em Portugal se situe no intervalo entre 658 a 1204 trabalhadores", lê-se.

Em termos de financiamento, há uma "grande dependência dos capitais próprios, com menos de metade das empresas e dos criadores a referirem o recurso a fontes alternativas de financiamento".

Assim, o documento indica a falta de financiamento privado e de apoio público, nas suas diferentes facetas, como "as principais barreiras ao desenvolvimento do setor dos videojogos em Portugal".

O atlas avançou com a necessidade de um desenho de políticas públicas específicas, "dada a relevância dos videojogos como produto cultural com grande capacidade de exportação e com elevado valor acrescentado, bem como o seu forte contributo para a inovação noutros setores de atividade".

Outro caminho apontado foi a necessidade de "impulsionar o modelo tripla-hélice (Educação/Indústria/Governo) para fortalecer o setor".

Lusa

  • Milhares protestam na Catalunha contra Madrid
    1:45

    Mundo

    O Governo de Madrid mostrou-se disposto a dar mais dinheiro e autonomia financeira à Catalunha, se o Governo Regional suspender o referendo independentista. A 10 dias da consulta popular, a tensão é explosiva, com protestos nas ruas, detenções e confrontos com as autoridades.

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • Marcelo Rebelo de Sousa avisou que depois das autárquicas viria um novo ciclo. A lógica levou-nos a assumir que estava a falar do PSD, mas hoje, olhando para a situação política, devemos também incluir nessa previsão a “geringonça” e os seus equilíbrios. Não acredito que as coisas mudem até às legislativas, mas as contas só se fazem depois dos votos das autárquicas. Até lá, o tom de voz das esquerdas vai engrossar.

    Bernardo Ferrão

  • #SICnaCampanha

    Autárquicas 2017

    As caravanas estão na estrada e os repórteres da SIC também. Acompanhe aqui os bastidores das autárquicas.

    Live blog

  • PSD não está a lutar "pela sobrevivência" em Lisboa
    3:29

    Autárquicas 2017

    Mais uma volta de norte a sul do país com a campanha dos líderes políticos para as próximas autárquicas. Ainda não acabou a guerra Bloco de Esquerda-CDU. A secretária-geral adjunta do PS bem se esforça, mas não consegue apoio nas ruas como António Costa. Pedro Passos Coelho voltou a aparecer ao lado de Teresa Leal Coelho, mas não quis comentar prováveis resultados na capital.

  • PCP e PS desvalorizam estudo de economistas com alternativa à do Governo
    1:09

    Orçamento do Estado 2018

    Um grupo de economistas, incluindo o deputado independente eleito pelo PS Paulo Trigo Pereira, publicou um estudo em que defende uma proposta alternativa à apresentada pelo Governo. O PCP e o PS desvalorizaram a opinião dos economistas e o Bloco de Esquerda disse que a consolidação orçamental poderia ser mais lenta. Já o PSD e o CDS aplaudem a proposta e defendem que o estudo apresentado é um aviso ao desnorte do Governo. 

  • Complexo Agroindustrial do Cachão abandonado e exposto à poluição
    2:03
  • Família Portugal Ramos
    15:01

    As Famílias Vintage regressaram esta quinta-feira, com uma viagem ao Alentejo. Foi a partir desta região que João Portugal Ramos conquistou um lugar entre os grandes do setor. Desde há 25 anos a vindimar em seu nome, o enólogo produz seis milhões de litros de vinho por ano.

  • Se pedir ao seu cão para ir buscar uma garrafa de vinho ele vai?
    0:49

    País

    Há 25 anos a vindimar no Alentejo, o enólogo João Portugal Ramos produz seis milhões de litros de vinho por ano. Em Estremoz comprou casa e terra. Iniciou a plantação de vinhas próprias e a construção de uma adega. Um espaço que conhece como as palmas da mão. Ele e um amigo muito especial.

  • Presidente das Filipinas pede que matem o filho se estiver envolvido nas drogas

    Mundo

    O Presidente das Filipinas pediu que matassem o seu filho se as acusações de que traficava droga fossem provadas. Rodrigo Duterte destacou ainda que, caso fosse verdade, iria proteger as autoridades que executassem Paolo Duterte. Em causa está a acusação de que o filho do Presidente filipino faria parte da máfia chinesa, que contrabandeia drogas, vindas da China para dentro do país.

    SIC

  • Morreu a mulher mais rica do mundo

    Mundo

    Liliane Bettencourt, herdeira do grupo de cosméticos L'Oréal e a mulher mais rica do mundo, segundo a revista Forbes, morreu na quarta-feira à noite aos 94 anos, anunciou a família.

  • Deputado do Canadá pede desculpa por chamar "Barbie do Clima" a ministra

    Mundo

    O deputado da província de Saskatchewan, no Canadá, chamou na terça-feira a ministra do Ambiente de "Barbie do Clima". Catherine McKenna não gostou de ser apelidada desta forma e acusou Gerry Ritz de ter um comportamento sexista. Após a crítica, foram precisos apenas 20 minutos para o deputado fazer um pedido de desculpas à ministra.

  • Espanhola tenta provar há sete anos que está viva

    Mundo

    Uma mulher de 53 anos está há sete anos a tentar provar que está viva. Segundo o Estado espanhol, Juana Escudero Lezcano morreu a 13 de maio de 2010, mas na realidade quem morreu foi uma mulher com o mesmo nome e data de nascimento.

    SIC