sicnot

Perfil

Economia

Videojogos portugueses valem entre 6 a 12 M€

ANT\303\223NIO COTRIM

Os videojogos portugueses comercializam-se principalmente no mercado internacional, num volume de negócios que pode oscilar entre 6 e 12 milhões de euros, segundo o 1.º Atlas do setor dos videojogos em Portugal.

No total foram inquiridos 70 agentes, entre 38 empresas e 32 criadores, avançando-se que deverá haver 154 agentes em Portugal, que podem empregar entre 650 e 1200 trabalhadores.

Tentado determinar o volume global de negócios, o estudo apontou para a amostra das empresas inquiridas um "global anual aproximado de 2.100.000 Euros. "Deste modo, estima-se que o volume total de negócios gerado pelas empresas do setor em Portugal se situe num intervalo entre 6 e 12 milhões de Euros".

O estudo revelou que apenas cerca de 20% das empresas declararam ter receitas superiores a 50 mil euros anuais, enquanto 1/3 respondeu ter receitas inferiores a 10.000 euros anuais, "o que não as torna sustentáveis enquanto fontes de emprego".

Três empresas declararam volumes de negócios entre 250 mil e 500 mil euros, com os autores do documento a referirem a recusa de várias em revelarem lucros.

Quanto a criadores, "56% afirmaram terem receitas anuais com a atividade ligada aos videojogos inferiores a 2000 euros".

O estudo indicou que as empresas inquiridas foram responsáveis pelo desenvolvimento de 127 videojogos, dos quais 92% foram comercializados no mercado internacional.

"Este facto deriva da facilidade que existe atualmente em publicar os jogos para plataformas móveis ou PC através das 'app stores' (lojas de aplicações) e do Steam (plataforma online de venda), bem como da reduzida dimensão do mercado nacional", segundo os investigadores do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores - Investigação e Desenvolvimento (INESC-ID) e Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território (CEGOT).

Relativamente às fontes de receita associadas, as empresas citam sobretudo a venda do jogo (65%), seguindo-se vendas dentro do jogo e publicidade ou patrocínio, sendo esta última fonte a mais comum entre os criadores (mais de 50%).

O documento mostrou que os videojogos são um setor económico numa fase ainda emergente, com um tecido empresarial muito jovem, organizado em microempresas, e empregando pessoas com elevada qualificação e forte especialização.

As 38 empresas inquiridas indicaram ter 272 trabalhadores a tempo inteiro, 48 a tempo parcial e 55 em regime de freelancer, pelo que se estima que o "volume total de emprego gerado pelas empresas do setor em Portugal se situe no intervalo entre 658 a 1204 trabalhadores", lê-se.

Em termos de financiamento, há uma "grande dependência dos capitais próprios, com menos de metade das empresas e dos criadores a referirem o recurso a fontes alternativas de financiamento".

Assim, o documento indica a falta de financiamento privado e de apoio público, nas suas diferentes facetas, como "as principais barreiras ao desenvolvimento do setor dos videojogos em Portugal".

O atlas avançou com a necessidade de um desenho de políticas públicas específicas, "dada a relevância dos videojogos como produto cultural com grande capacidade de exportação e com elevado valor acrescentado, bem como o seu forte contributo para a inovação noutros setores de atividade".

Outro caminho apontado foi a necessidade de "impulsionar o modelo tripla-hélice (Educação/Indústria/Governo) para fortalecer o setor".

Lusa

  • Ministro garante segurança nas escolas com uso de poliuretano
    0:52

    País

    O ministro da Educação garante que as escolas estão em segurança e que não há perigo com um material como o poliuretano. Tiago Brandão Rodrigues respondia, esta quarta-feira, a uma pergunta dos Verdes sobre a substituição de amianto nas escolas.

  • Estoril garante que estrutura da bancada não está em causa
    2:23

    Desporto

    O Laboratório Nacional de Engenharia Civil deverá emitir esta quinta-feira um parecer preliminar sobre a bancada norte do estádio do Estoril-Praia. O clube garante que a estrutura não está em causa e que, tal como a câmara de Cascais, aguarda por conclusões para uma edificação feita no vale da Amoreira.

  • "Quem me dera que a bancada do Estoril fosse com o c......"

    Desporto

    Depois da polémica no jogo entre Estoril-Praia e FC Porto, um cântico polémico da claque do Sporting sobre a bancada do estádio António Coimbra da Mota que obrigou à interrupção do jogo da passada segunda-feira. Tudo aconteceu durante um jogo do campeonato de hóquei em patins entre leões e dragões.

  • Ronaldo estará mesmo de saída do Real Madrid
    2:01
  • Várias alternativas para vender a sua casa
    8:58
  • Encontradas 86 pedras preciosas numa casa em Albufeira
    0:48
  • Registada em vídeo explosão de meteoro nos EUA
    0:42
  • "A Rússia não nos ajuda nada na Coreia do Norte"

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, condenou esta quarta-feira a postura da Rússia sobre a situação da Coreia do Norte, afirmando que o país está a minar os esforços internacionais em curso para isolar o regime de Kim Jong-Un.

  • Polícia descobre arte de esconder 750 quilos de droga em ananases
    2:25
  • Moscovo só teve seis minutos de luz solar em dezembro

    Mundo

    Os portugueses estão tão habituados ao sol, que nunca imaginariam passar um mês inteiro sem ele. O fenómeno aconteceu na capital russa. Moscovo bateu o recorde em dezembro, quando passou o mês inteiro sem luz solar direta. As pessoas de Moscovo viram o sol apenas durante seis minutos e a espreitar timidamente por entre as nuvens.

  • A maior lua de Saturno tem nível do mar tal como a Terra

    Mundo

    Titã, a maior lua de Saturno, tem uma altura média da superfície do mar, tal como a Terra, revela um estudo divulgado esta quarta-feira, que se baseia em observações feitas pela sonda norte-americana Cassini, cuja missão terminou em setembro.