sicnot

Perfil

Economia

Costa anuncia "vistos startup" para jovens empreendedores indianos

O Primeiro Ministro António Costa recebe uma oferta de um traje tipico do Estado de Karnataka no final do Seminário Económico

TIAGO PETINGA/LUSA

O primeiro-ministro anunciou hoje que o Governo português vai adotar um programa de facilitação de vistos destinado a jovens indianos, abrangendo universitários empreendedores em 'startups' ou em setores ligados às tecnologias de informação.

António Costa referiu-se a esta medida num encontro de 'startups' (empresas em início de atividade) portuguesas e indianas no Instituto Tecnológico de Bangalore, no qual também discursaram o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros da Índia, Shri Akbar.

O secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, disse à agência Lusa que os jovens indianos já dispõem destas facilidades de instalação em Londres (Reino Unido) e em Silicon Valley (Califórnia, Estados Unidos) e a ideia é permitir que Portugal possa assumir-se como um novo polo de opção.

Neste terceiro de seis dias de visita oficial à Índia - em que Costa já por duas vezes foi vestido com o traje de honra tradicional do Estado de Karnataka (turbante, colar de flores, capa e bengala) -, o líder do executivo português manifestou a intenção de dar continuidade à forte presença registada por jovens indianos de 'starpups' na última Web Summit em Lisboa.

"Estamos a preparar um 'starup' visa destinado a empreendedores indianos e a jovens quadros graduados na área das tecnologias de comunicação e informação. Tal facilitará a possibilidade de residirem e iniciarem negócios em Portugal", salientou António Costa.

A Índia, de acordo com estimativas de diversas instituições internacionais, é já o terceiro país mundial em termos de número de 'startups'.

Depois de assinado um memorando de entendimento entre a Start-up Portugal e a Start-up Índia, o primeiro-ministro deixou um apelo para que os jovens indianos tirem partido desta medida de facilitação de vistos a adotar pelo Governo português.

"Portugal tem uma longa tradição de tolerância e de abertura ao mundo, algo que tem sido reconhecido internacionalmente. A capacidade de interação entre pessoas de diferentes origens, culturas e religiões faz parte do DNA de Portugal", sustentou o primeiro-ministro.

Na sua intervenção, o primeiro-ministro referiu-se igualmente a medidas já em curso no país, como o programa "Start-up' Portugal, destinado a jovens empreendedores.

"Penso que Portugal é o país ideal para vocês testarem as vossas inovações, eventualmente falharem e testarem de novo até serem bem sucedidos. Fui testemunha da atmosfera vibrante que se registou durante os dias de Web Summit em Lisboa - uma cidade que tem como lema construir pontes e não muros", apontou ainda António Costa.

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros da Índia fez uma intervenção que mereceu longos aplausos de uma plateia sobretudo composta por jovens empreendedores.

"Este é o momento de anunciar a mais relevante start-up do mundo: A 'starup' entre Portugal e a Índia", disse Shri Ansari.

O membro do executivo indiano defendeu que não se está "perante um dicionário de palavras" sem consequências práticas e manifestou-se confiante que a parceria entre Portugal e a Índia "marcará as primeiras décadas do século XXI".

"O navegador português não sabe o que esperar, mas sabia que tinha de começar. No presente, se nós subestimamos sempre aquilo que podemos fazer num ano, então nem sequer conseguimos imaginar o que podermos fazer numa década", declarou, recebendo de novo palmas.

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.