sicnot

Perfil

Economia

Juros da dívida de Portugal a descer a dois anos e a subir a cinco e dez anos

Os juros da dívida portuguesa estavam hoje a descer a dois anos e a subir a cinco e dez anos em relação a segunda-feira, alinhados com os de Espanha.

Cerca das 08:45 em Lisboa, os juros da dívida portuguesa a dez anos estavam a subir para 3,970%, contra 3,954% na segunda-feira.

Nos últimos seis meses, os juros a dez anos subiram até ao máximo de 4,032% e desceram até ao mínimo de 2,679% em 15 de agosto.

Com a mesma tendência, a cinco anos, os juros estavam a avançar para 1,942%, contra 1,919% na segunda-feira.

Nos últimos seis meses, os juros a cinco anos subiram até ao máximo de 2,292% em 01 de dezembro e desceram até ao mínimo de 1,543% em 15 de agosto.

Em sentido contrário, no prazo de dois anos os juros estavam a descer, para 0,163%, contra 0,176% na segunda-feira.

Nos últimos seis meses, os juros a dois anos subiram até ao máximo de 0,699% em 15 de julho e desceram até ao mínimo de -0,026% em 30 de dezembro.

Os juros de Itália estavam a subir em todos os prazos e os da Irlanda a cair a dois anos e a avançar a dez anos. Os juros da Grécia estavam a cair a dez anos, único prazo disponível.

Juros da dívida soberana em Portugal, Grécia, Irlanda, Itália e Espanha cerca das 8:45:

2 anos... 5 anos... 10 anos

Portugal

10/01......0,163....1,942......3,970

09/01......0,176....1,919......3,954

Grécia

10/01......n disp....n disp....6,810

09/01......n disp....n disp....6,826

Irlanda

10/01.....-0,526.....n disp....0,926

09/01.....-0,521.....n disp....0,917

Itália

10/01.....-0,084.....0,655.....1,917

09/01.....-0,095.....0,641.....1,891

Espanha

10/01.....-0,281.....0,267.....1,491

09/01.....-0,280.....0,254.....1,468

Fonte: Bloomberg Valores de 'bid' (juros exigidos pelos investidores para comprarem dívida) que compara com fecho da última sessão.

Lusa

  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • "Foi um golpe muito forte"
    1:41
  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • SIC acompanhou Francisco George no último dia como diretor-geral da Saúde
    6:20