sicnot

Perfil

Economia

Baixos salários comprometem competitividade, diz primeiro-ministro

Baixos salários comprometem competitividade, diz primeiro-ministro

António Costa sublinha que Portugal tem de ser capaz de atrair e fixar capital humano e inverter a tendência dos últimos anos. O primeiro-ministro defendeu hoje que a competitividade do país não pode assentar numa política de salários baixos.

Na sessão de abertura do seminário de acolhimento sobre práticas internacionais no âmbito da 21.ª edição do programa INOV Contacto, na Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, António Costa enalteceu o aumento consecutivo das exportações portuguesas nos últimos 20 anos, defendendo que para que este movimento prossiga as empresas têm que manter a "trajetória de melhoria das condições de competitividade".

"No mundo de hoje, num país europeu, esse fator de competitividade assenta, essencialmente, nos fatores associados à inovação. Não vale a pena termos a ilusão que numa estratégia assente em baixos salários nós conseguiremos ser competitivos", considerou.

De acordo com o primeiro-ministro, se Portugal quer ser competitivo tem que ser capaz de "atrair, fixar, manter o capital humano", destacando o trabalho que as universidades fazem, designadamente nos programas Erasmus.

Com Lusa

  • Portugal vai fechar fronteiras durante a visita do Papa

    País

    O Conselho de Ministros aprovou hoje a reposição temporária do controlo de fronteiras durante a visita do papa Francisco em maio a Fátima. A reposição do controlo de fronteiras decorrerá entre 00:00 de 10 de maio e as 00:00 de 14 de maio.

  • "Civis devem ser prioridade absoluta no Iraque", diz Guterres

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, chegou hoje ao Iraque para abordar a situação da ajuda humanitária, e pediu que a proteção dos civis seja a "prioridade absoluta" à medida que as forças iraquianas batalham para retomar Mossul.

  • Fomos conhecer o novo Samsung S8
    1:42
  • E depois do Brexit?
    3:42
  • Britânicos a viver no Algarve falam em desilusão
    2:32

    Brexit

    Para muitos dos britânicos que vivem no Algarve, o Brexit é a confirmação de que o resultado surpreendente do referendo não tem retorno. Certificados de residência e até a dupla nacionalidade são questões que a partir de agora passam a estar em cima da mesa.