sicnot

Perfil

Economia

Baixos salários comprometem competitividade, diz primeiro-ministro

Baixos salários comprometem competitividade, diz primeiro-ministro

António Costa sublinha que Portugal tem de ser capaz de atrair e fixar capital humano e inverter a tendência dos últimos anos. O primeiro-ministro defendeu hoje que a competitividade do país não pode assentar numa política de salários baixos.

Na sessão de abertura do seminário de acolhimento sobre práticas internacionais no âmbito da 21.ª edição do programa INOV Contacto, na Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, António Costa enalteceu o aumento consecutivo das exportações portuguesas nos últimos 20 anos, defendendo que para que este movimento prossiga as empresas têm que manter a "trajetória de melhoria das condições de competitividade".

"No mundo de hoje, num país europeu, esse fator de competitividade assenta, essencialmente, nos fatores associados à inovação. Não vale a pena termos a ilusão que numa estratégia assente em baixos salários nós conseguiremos ser competitivos", considerou.

De acordo com o primeiro-ministro, se Portugal quer ser competitivo tem que ser capaz de "atrair, fixar, manter o capital humano", destacando o trabalho que as universidades fazem, designadamente nos programas Erasmus.

Com Lusa

  • Enfermeiros especialistas em saúde materna retomam protesto 

    País

    Os enfermeiros especialistas em saúde materna e obstetrícia voltam quinta-feira de manhã a interromper as funções especializadas, o que pode afetar blocos de parto e maternidades. Queixam-se de "falta de resposta política adequada" e "ausência de acordos sérios".

  • Cristas vaiada em bairro de Chelas
    1:44

    Autárquicas 2017

    Assunção Cristas promete mudanças na Gebalis, a empresa municipal que gere os bairros sociais em Lisboa. Esta manhã, a candidata do CDS à câmara visitou um bairro de Chelas, onde foi vaiada por alguns populares.

  • Prestação da casa aumenta pela primeira vez desde 2014
    1:17

    Economia

    Pela primeira vez em três anos, as taxas de juro do crédito à habitação, estão a subir. A subida é de apenas 1 euro, mas é a primeira desde 2014, depois de em maio deste ano ter estabilizado e em junho ter descido. A justificação para este aumento é a evolução das taxas euribor.

  • "Em vez de ajudarem, estavam a tirar fotos dela a morrer"
    1:13