sicnot

Perfil

Economia

Lagarde diz que FMI procura respostas para desigualdades

© Ruben Sprich / Reuters

A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, afirmou esta quarta-feira que o FMI despertou tarde para o agravamento das desigualdades no mundo, mas procura agora respostas para o problema.

"Quando temos uma crise ou recebemos sinais muito fortes, como temos recebido dos eleitores que dizem 'não', é o momento de vermos as políticas que estão a ser seguidas e o que podemos fazer mais", afirmou Lagarde num debate no Fórum Económico Mundial de Davos.

Segundo Lagarde, o FMI "apercebeu-se agora da maneira mais difícil da importância" desta questão e também da "importância de a estudar e encontrar respostas", afirmou.

A organização internacional Oxfam divulgou no domingo um relatório referindo que as oito pessoas mais ricas do mundo acumulam a mesma riqueza que a metade mais pobre da população mundial, equivalente a 3,6 mil milhões de pessoas.

Lusa

  • FMI ligeiramente mais otimista no desempenho da economia da zona euro em 2017 e 2018

    Economia

    O Fundo Monetário Internacional (FMI) está ligeiramente mais otimista relativamente à economia da zona euro, prevendo um crescimento de 1,6% este ano, mas mantém a projeção para 2018. No "World Economic Outlook" publicado esta segunda-feira, o FMI estima que o Produto Interno Bruto (PIB) da zona euro cresça 1,6% este ano, contra uma projeção de 1,5% realizada em outubro.

  • Shakira e Matt Damon embaixadores do Fórum Económico Mundial
    1:50

    Economia

    Em Davos, na Suíça, está a decorrer o Fórum Económico Mundial onde se discutem ideias para equilibrar as diferenças entre ricos e pobres que há no mundo. Para isso, o evento conta com embaixadores como a cantora Shakira e o ator Matt Damon. Durante o discurso Shakira lembrou que através de pequenos gestos é possível melhorar a vida das crianças.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • O Nokia 3310 está de volta
    1:16

    Economia

    A Nokia chegou a ser uma das maiores empresas do mundo devido ao fabrico de telemóveis. Caiu, mas acaba de fazer renascer um dos sucessos de vendas do início do milénio. O anúncio foi feito este domingo, em Barcelona.