sicnot

Perfil

Economia

Dívida do SNS aos fornecedores mantém-se ao nível de 2015

O ministro da Saúde reconheceu esta quinta-feira no Parlamento que a dívida aos fornecedores mantém-se nos níveis e com os prazos de pagamento de 2015, quando estava no poder o anterior Governo.

Adalberto Campos Fernandes falava em resposta à deputada Isabel Galriça Neto (CDS) que questionou o ministro sobre a dívida do Serviço Nacional de Saúde (SNS) que, segundo disse, cresce a um ritmo de 27 milhões de euros por mês.

"Vamos terminar o ano (de 2016) com um "stock2 de dívida e com os prazos de pagamento em linha com o que encontrámos no final de 2015", disse o ministro, acrescentando sobre a dívida: "Não pagámos como vocês também não pagaram".

O ministro reiterou o que já tinha anunciado neste debate, que o SNS termina 2016 com a melhor execução orçamental de sempre, o que levou Isabel Galriça Neto a questioná-lo sobre onde foram os cortes, para que tenha sido obtido este resultado.

"Com essa boa execução orçamental, onde é que cortou?", perguntou a deputada.

Adalberto Campos Fernandes respondeu que não se tratou de "nenhum milagre", mas antes de "rigor e justiça social".

O debate tem sido pautado por acusações da oposição que apontam para "o caos" em alguns serviços do SNS e com o ministro a recusar a ideia, afirmando que se trata de "teorias".

"O ruído não adianta nada. Os portugueses sabem bem a diferença entre factos e ruído", disse Adalberto Campos Fernandes.

Lusa

  • SNS aposta no alargamento dos cuidados de saúde primários nas farmácias
    2:07

    País

    Ir à farmácia para medir a diabetes, pedir opiniões sobre alguns medicamenttos e doenças, vai ser possível e com o aval do Serviço Nacional de Saúde.Farmácias e centros de saúde vão ter em breve, uma parceria no controlo, vigilância e aconselhamento de algumas doenças, como por exemplo, a diabetes e a obesidade.Depois das experiências-piloto, será feita uma avaliação de vantagens e ganhos dos serviços.A aposta é no alargamento destes cuidados de saúde primários nas farmácias em parceria com o SNS.

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.