sicnot

Perfil

Economia

ADSE garante que totalidade de reeembolsos em atraso será liquidada "ainda hoje"

Sede da ADSE, em Lisboa

A ADSE afirma que desde o dia 19 de janeiro que os serviços têm vindo a efetuar o processamento de várias transferências bancárias diárias para pagamento dos reembolsos, devendo a totalidade dos valores pendentes ficar liquidada "ainda hoje".

Este esclarecimento da ADSE surge na sequência de notícias divulgadas em vários órgãos de comunicação social, segundo as quais este subsistema de saúde não reembolsa desde dezembro as despesas de saúde aos funcionários públicos.

"De facto e até ao dia 19 de janeiro, os serviços da ADSE não procederam ao pagamento desses reembolsos, por força dos necessários ajustamentos decorrentes da transformação da Direção Geral da ADSE num Instituto Público de gestão participada, pela publicação do Decreto-Lei n.º 7/2017, no dia 9 de janeiro", justifica a ADSE em comunicado.

Na nota, a ADSE justifica que "estes ajustamentos de natureza burocrática, relativos à constituição do novo Instituto obrigaram a diversas interações com o IRN - Instituto dos Registos e Notariado, a DGO - Direção Geral do Orçamento, a ESPAP e o IGCP", tendo "todas estas necessárias tramitações burocráticas" sido efetuadas entre 9 e 18 de janeiro, ou seja, "num prazo excecionalmente reduzido (8 dias úteis)".

No entanto, a ADSE garante que "desde o passado dia 19 de janeiro e nos dias úteis subsequentes (dia 20 e 23 de janeiro) a ADSE procedeu já ao processamento de várias transferências bancárias diárias para pagamento dos reembolsos, sendo que com a realização de um outro pagamento ainda esta terça-feira, ficam liquidados aos beneficiários a totalidade dos valores pendentes".

Conforme a SIC Notícias avançou na segunda-feira, "desde dezembro que a ADSE não reembolsa as despesas de saúde aos funcionários públicos, uma situação que se prende com a passagem do subsistema de saúde a instituto público de gestão participada". A SIC referia igualmente que "a alteração do modelo, de Direção Geral para Instituto, obrigou a que as devoluções das despesas feitas no chamado regime livre fossem suspensas".

Conforme a Lusa noticiou no passado dia 11 de janeiro, o CDS-PP questionou o Ministério da Saúde acerca do subsistema de saúde dos funcionários públicos, inquirindo o Governo sobre alegados atrasos nos pagamentos aos beneficiários.Nessa data, o CDS referiu ter conhecimento de "relatos preocupantes" que davam conta de demoras de até 150 dias no pagamento aos beneficiários.

Lusa

  • Só novos beneficiários pagarão se quiserem aderir à ADSE
    1:51

    Economia

    Os familiares de beneficiários da ADSE que também queiram ser beneficiários do mesmo subsistema de saúde vão passar a pagar contribuições. O decreto-lei onde está prevista esta alteração anuncia ainda a criação do instituto público. O diretor-geral da ADSE explicou à SIC as alterações. Os sindicatos da função pública criticam o Governo por não ter negociado.

  • Aviação russa matou mais de 11 mil pessoas na Síria

    Mundo

    Pelo menos 11.612 pessoas morreram na Síria em resultado dos bombardeamentos da aviação russa, aliada do Governo de Damasco, iniciados em 30 de setembro de 2015, de acordo com dados publicados hoje pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

  • Mais de 500 casos de sarampo na Europa este ano, avisa OMS

    Mundo

    Mais de 500 casos de sarampo foram reportados só este ano na Europa, afetando pelo menos sete países, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em Portugal, a OMS reconheceu oficialmente a eliminação do vírus do sarampo no verão do ano passado.