sicnot

Perfil

Economia

Portugal acredita que Reino Unido iniciará saída da UE em março, prazo previsto

reuters

O ministro dos Negócios Estrangeiros português acredita que o Reino Unido iniciará a saída da União Europeia até final de março, prazo com que o Governo britânico se comprometeu, apesar de o processo ter de passar pelo parlamento nacional.

"O Reino Unido comunicou que tenciona ativar o artigo 50.º do Tratado de Lisboa até ao fim do mês de março. Estou seguro que as instituições relevantes do Reino Unido completarão o processo de decisão interno de forma a que esse prazo seja respeitado", disse hoje Augusto Santos Silva, quando questionado pelos jornalistas sobre a decisão do Supremo Tribunal do Reino Unido, que obriga o Governo britânico a ter a aprovação do Parlamento para iniciar os procedimentos de saída da União Europeia, no que é uma derrota política para a primeira-ministra, Theresa May.

Sem querer comentar a decisão da justiça britânica, Santos Silva reiterou que, para Portugal, "logo que seja conhecida a notificação" sobre a ativação do artigo 50.º do Tratado de Lisboa - relativo à saída voluntária de um Estado-membro da UE -, deve iniciar-se a negociação entre Londres e os restantes 27 países do bloco europeu.

"Um processo de negociação que, queremos crer, se conduzirá de forma a que o resultado desse processo conserve a importância que o Reino Unido tem na Europa como tal e que permita conservar e até reforçar a cooperação entre a União Europeia e o Reino Unido, seja em matéria comercial e económica, seja em matéria de segurança e defesa", defendeu.

Santos Silva insistiu ainda que, ao mesmo tempo, os 27 membros da UE devem reforçar o seu processo de integração.

O Governo britânico afirmou hoje que a decisão do Supremo Tribunal britânico de obrigar Downing Street a obter a aprovação do Parlamento sobre o lançamento das negociações de saída da União Europeia "não muda nada" no calendário do 'Brexit'.

O Supremo Tribunal decidiu também que o Governo não terá de consultar a Escócia, o País de Gales ou a Irlanda do Norte antes de iniciar o processo de saída.

O ministro dos Negócios Estrangeiros falava aos jornalistas à margem do seminário de alto nível, com cerca de 40 decisores políticos e académicos de vários países europeus, que hoje reúnem em Lisboa para debater o tema "Consolidar o Euro. Promover a Convergência".

Trata-se de uma iniciativa do Governo português e conta com a participação dos ministros portugueses dos Negócios Estrangeiros, do Planeamento, das Finanças e do Trabalho, e é encerrada pelo primeiro-ministro, António Costa.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.