sicnot

Perfil

Economia

Governador do Banco do Japão diz que G7 e G20 vão travar protecionismo de Trump

Haruhiko Kuroda, governador do Banco do Japão.

© Ruben Sprich / Reuters

O governador do Banco do Japão considerou hoje que, apesar da insegurança generalizada das posturas protecionistas do Presidente norte-americano, Donald Trump, as políticas que defendem o G7 e o G20 evitarão que estas tendências alastrem a nível mundial.

"Há uma preocupação de que as políticas protecionistas da administração Trump possam reduzir o volume de comércio internacional", afirmou Haruhiko Kuroda em conferência de imprensa.


"Contudo, não creio que esse protecionismo seja contagioso a larga escala, graças às políticas (defensoras do livre comércio internacional) que dominam no G7 e no G20", acrescentou.


Em termos financeiros, Kuroda sustentou que, "embora a política do novo Governo [Notes:de Trump] não seja ainda clara", são patentes os bons fundamentos sobre o que sustenta a economia norte-americana, assim como a recente subida dos rendimentos das obrigações do tesouro ou a alta que se vive em Wall Street.


Ainda assim, o governador do Banco do Japão assegurou que a entidade que dirige se manterá "vigilante" dada a "grande influência da política financeira dos Estados Unidos nos mercados globais".


Ao ser questionado sobre a recente proibição aprovada pela Casa Branca de conceder vistos de entrada aos cidadãos de sete países muçulmanos, Kuroda recusou pronunciar-se, dizendo apenas que tal assunto "não é da competência do Banco do Japão".

Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.