sicnot

Perfil

Economia

Maioria dos acionistas do BCP não quis vender os direitos de participação

(Arquivo)

© Kacper Pempel / Reuters

A maior parte dos atuais acionistas do BCP não quis vender os direitos de participação no aumento de capital do banco. A operação terminou esta segunda-feira, mas o valor alcançado ficou abaixo do previsto.

Apesar de quase 300 milhões de euros vendidos, dois terços dos acionistas do banco não participaram na negociação, mostrando assim o interesse em participar no aumento de capital. Também a Sonangol não vendeu os direitos que tem, mantendo a segunda maior participação, com 15%.

Os chineses da Fosun - a maior acionista - foram os primeiros compradores de direitos, mas não conseguiram atingir o objetivo de obter 30% de quota no BCP.

Até à próxima quinta-feira, podem ser subscritas as novas ações, que deverão ser colocadas em bolsa a 9 de fevereiro.

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.