sicnot

Perfil

Economia

Japão nega acusações de Trump sobre manipulação da sua moeda

© Kim Kyung Hoon / Reuters

O Governo do Japão afirmou hoje que não intervém nas taxas de câmbio da sua moeda, em resposta às críticas do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que afirmou que Tóquio manipula os mercados para desvalorizar o iene.

O porta-voz do Executivo, Yoshihide Suga, negou, numa conferência de imprensa, que o Japão realize intervenções no Forex (foreign exchange market), e assinalou que o país "baseia a sua política monetária nos acordos do G7 e G20 sobre a não manipulação de divisas".

Suga qualificou de "totalmente incorretas" as acusações de Trump, que disse na véspera que tanto o Japão como a China "jogaram com a desvalorização" dos mercados monetários nos últimos anos, durante uma reunião com responsáveis das empresas farmacêuticas, em Nova Iorque.

Os comentários de Trump geraram uma valorização da moeda japonesa face ao dólar na bolsa de Tóquio, que chegou aos 112 ienes, o seu máximo nos últimos dois meses.

O porta-voz do Executivo nipónico acrescentou que a política financeira do seu país "tem como objetivo obter a estabilidade do IPC (Índice de Preços no Consumidor), e por isso não está direcionada para o enfraquecimento do iene".

Este pode ser um dos temas que Trump irá discutir com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, com quem se vai reunir no próximo dia 10 de fevereiro em Washington

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28