sicnot

Perfil

Economia

Lufthansa suspende aplicação de taxa para compra de bilhetes com cartão de crédito

O grupo Lufthansa suspendeu a entrada em vigor de uma taxa sobre bilhetes de avião pagos com cartão de crédito em Portugal, prevista para terça-feira, para avaliar a conformidade com a legislação nacional, disse fonte da empresa.

Em declarações à agência Lusa, fonte do grupo alemão confirmou a suspensão da entrada em vigor da sobretaxa nas companhias Lufthansa, Austrian Airlines, Brussels Airlines e Swiss "até novo aviso prévio".

"O grupo Lufthansa está a estudar todo o processo e foi suspensa até nova informação. Está-se a estudar melhor todos os pormenores, não entra em vigor como estava previsto", adiantou a fonte do grupo de aviação.

A posição da Lufthansa surge depois de a Associação Portuguesa de Direito do Consumo (APDC) alegar que a cobrança de taxas em pagamentos com cartões de crédito, feitos em território nacional, é ilegal e ter exigido a intervenção do Banco de Portugal.Ouvido pela Lusa, Mário Frota, dirigente da APDC, congratulou-se com a decisão do grupo Lufthansa, notando, no entanto, que "é preciso serem os alemães, que têm outro sentido do que são as leis, a cumprirem a legislação nacional, quando as próprias empresas portuguesas não cumprem".

"E o Banco de Portugal, que tem a responsabilidade de zelar pelo cumprimento da lei, não faz nada, é uma vergonha. O grupo Lufthansa agiu com prudência, encolheu as unhas, já que se trata de um gigante económico que não quer afrontar as leis portuguesas", declarou Mário Frota.Adiantou que a associação de consumidores expôs o caso ao Banco de Portugal, mas não recebeu resposta.

Segundo a APDC, a cobrança de taxas em pagamentos por cartão de crédito emitidos em Portugal "estão proibidas" pelo decreto-lei 3/2010, de 05 de janeiro, que, no artigo 3º, frisa que "ao beneficiário do serviço de pagamento é vedado exigir ao ordenante qualquer encargo pela utilização de um determinado instrumento de pagamento".

Numa informação disponibilizada à agência Lusa, em janeiro, o grupo alemão confirmava a introdução da sobretaxa, para terça-feira, nas companhias aéreas Lufthansa, Austrian Airlines, Brussels Airlines e Swiss, alegando, na altura, que a estrutura de tarifas e taxas praticada correspondia aos requisitos legais aplicáveis.A taxa agora suspensa aplicava-se a pagamentos com cartão de crédito e sistema Paypal "para viagens que começam em Portugal".

Na Lufthansa, Austrian Airlines e Swiss, correspondia a 1,65% do preço do bilhete (até um valor máximo de 25 euros por cada bilhete), enquanto a Brussels Airlines cobraria um valor fixo de oito euros, disse a fonte da empresa alemã.

A agência Lusa colocou ao Banco de Portugal diversas questões sobre a situação denunciada pela APDC, mas ainda não obteve resposta.

Lusa


  • Atentado "falhado" em Nova Iorque
    1:43

    Mundo

    Uma explosão numa das zonas mais movimentadas de Manhattan fez quatro feridos, esta segunda-feira. Entre eles está o homem que transportava o engenho e que foi entretanto detido.

  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.

  • 10 Minutos com Leonor Beleza
    10:27

    10 Minutos

    A nossa convidada desta segunda-feira ainda é conhecida por ter sido ministra da Saúde e pelo seu trabalho à frente da Fundação Champalimaud. Mas desta vez vamos falar com Leonor Beleza sobre os 40 anos da revisão do Código Civil, em que esteve envolvida.

    Entrevista completa