sicnot

Perfil

Economia

Isabel dos Santos saiu do BPI

A empresária angolana Isabel dos Santos vendeu a posição de 18,6 por cento do BPI na Operação Pública de Aquisição (OPA) que terminou hoje. Isabel dos Santos encaixa mais de 300 milhões de euros no negócio.

Os resultados oficiais da OPA lançada pelo CaixaBank só serão conhecidos amanhã, mas tudo inidicado que o banco catalão terá conseguido o principal objetivo, de assegurar o controlo do BPI.

A apresentação está marcada para amanhã às 18h00 - e, deverá contar em Lisboa com o presidente do CaixaBank.

  • Violas Ferreira vendeu ações do BPI mas mantém participação residual para litigar

    Economia

    O maior acionista português do BPI, o grupo Violas Ferreira, vendeu a maior parte da sua participação de 2,7% no BPI no âmbito da Operação Pública de Aquisição (OPA) lançada pelo espanhol CaixaBank, afirmando Tiago Violas que "não tinham alternativa". O grupo Violas Ferreira tenciona, no entanto, processar a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). À SIC, Tiago Violas Ferreira explica que os acionistas foram descriminados, com benefício para Isabel dos Santos. Em causa, a passagem do controlo do BFA para a empresária angolana, vista pelo administrador como uma forma de premiar Isabel dos Santos face aos acionistas que aceitaram vender na OPA por 1,13 centimos. Foi precisamente o caso do Grupo Violas Ferreira que vendeu os 2,7 por cento que tinha do BPI, ficando apenas com uma posição residual de 10 mil ações. Para se ter uma ideia, vendeu 99,7 por cento do total que detinha.

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.