sicnot

Perfil

Economia

Insolvências de empresas continuam a descer em janeiro

Menos de 300 empresas iniciaram processos de insolvência em janeiro deste ano, uma diminuição de 16 por cento face ao mesmo período do ano passado, segundo divulgou hoje a Informa D&B no barómetro mensal.

Segundo o barómetro, foram criadas 4.298 empresas e outras organizações em janeiro, mais 2,1% do que no mesmo mês de 2016.

No primeiro mês deste ano, foram 1.280 as empresas que fecharam, menos 4,8% do que em janeiro do ano passado, "mantendo a tendência dos últimos meses de 2016".

Em janeiro, foi no setor dos serviços que mais empresas encerraram (346, menos 4,4% do que no mesmo mês de 2016), mas também que abriram (1.492, mais 13,2% do que no mesmo período).

Por sua vez, o setor que mais cresceu em novas empresas foi o das atividades imobiliárias, com 144 nascimentos (+37,1% do que em janeiro de 2016).

Nos últimos 12 meses, o rácio nascimentos/encerramentos foi de 2,3; já os setores com maior rácio nascimentos/encerramentos foram o das atividades imobiliárias (4,6) e o da agricultura, pecuária, pesca e caça (3,9).

Numa análise regional, os dois maiores distritos em número de empresas (Lisboa e Porto) "mantêm tendências distintas" face ao período homólogo: nasceram mais 12,1% empresas e outras organizações em Lisboa (mais 149) e o Porto tem menos 3,1% nascimentos (-24 empresas).

"Após um primeiro semestre de 2016 com algumas melhorias, em janeiro de 2017 apenas 17,5% das empresas pagam dentro dos prazos, mantendo-se nos níveis verificados no último semestre", conclui a Informa D&B.

Lusa


  • As zonas de guerra que o fogo deixou
    3:13

    País

    A chuva finalmente ajudou na luta contra as chamas e o que fica agora é um cenário de devastação no norte e centro do país. Morreram 37 pessoas, arderam centenas de casas e empresas e há críticas severas à falta de meios.

  • Visto do céu, Portugal é um país que se vestiu de negro
    3:28
  • Portugueses usam Facebook para marcar protestos contra incêndios

    País

    Os incêndios que têm acontecido este ano estão a causar revolta entre a população. Por essa razão, estão marcadas, através da rede social Facebook, várias manifestações para os próximos dias um pouco por todo o país. Os portugueses exigem a melhoria do sistema, para que as tragédias deste ano não se voltem a repetir.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06
  • "Quem está no Governo tem sérias responsabilidades"
    1:07

    Opinião

    Pacheco Pereira aponta falhas do Estado, dos bombeiros e da Proteção Civil como causa dos incêndios que assolaram o país no passado domingo. O comentador da SIC considera que o Governo tem responsabilidade perante o que aconteceu.

  • Presidente das Indústrias de Madeira diz que fogos estão a afetar o setor
    0:39

    País

    A Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário desvaloriza que os industriais do setor possam comprar madeira mais barata, em resultado dos incêndios florestais. Em entrevista na SIC Notícias, o presidente da associação, Vítor Poças, considera que os fogos estão a prejudicar gravemente a indústria.