sicnot

Perfil

Economia

Jovens "nem nem" continuam a ser mais de 300 mil

© Rafael Marchante / Reuters

Nem têm emprego nem estão a estudar. O número de jovens dos 15 aos 34 anos nestas condições baixou, mas pouco, no ano passado.

De acordo com os dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), no conjunto de 2016, uma fatia de 13,2% (301,1 mil) do total de 2,279 milhões de jovens dos 15 aos 34 anos não tinham emprego e não estavam a estudar ou em formação.

A par do desemprego jovem (dos 15 aos 24 anos, que em 2016 se situou em 28%, menos quatro pontos percentuais face a 2015), as instituições europeias têm mostrado fortes preocupações com o elevado número de jovens que não trabalham, nem estudam ou estão em formação.

Comparativamente ao ano de 2015, a taxa dos chamados jovens "nem nem" diminuiu 0,3 pontos percentuais (10,7 mil), tendo este decréscimo sido mais pronunciado:

  • para as mulheres (0,5 pontos percentuais ou 9,7 mil),
  • o grupo etário dos 15 aos 19 anos (1,0 pontos percentuais ou 5,5 mil)
  • e entre aqueles que completaram o ensino superior (0,9 pontos percentuais ou 3,9 mil).

Considerando apenas o 4º trimestre, a taxa de jovens não empregados que não estão em educação ou formação diminuiu 0,3 pontos percentuais (7 mil) para 13%, o que resultou de um decréscimo entre as mulheres (0,8 pontos percentuais) que mais do que compensou o aumento verificado para os homens (0,2 pontos percentuais).

Por nível de escolaridade, verificou-se uma diminuição trimestral da taxa de jovens não empregados que não estão em educação ou formação entre os que completaram o ensino secundário e pós-secundário (0,6 pontos percentuais) ou o ensino superior (0,7 pontos percentuais).

Já a taxa daqueles que completaram, no máximo, o 3.º ciclo do ensino básico aumentou 0,4 pontos percentuais, sinaliza o INE.

Relativamente ao 4.º trimestre de 2015, a percentagem de jovens dos 15 aos 34 anos que não estavam empregados, nem a estudar ou em formação, diminuiu 0,6 pontos percentuais.

Com Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.