sicnot

Perfil

Economia

S&P melhora rating do BPI mas continua como lixo

A agência de notação financeira Standard & Poor's aumentou o rating do BPI para BB+, ainda que continue em lixo, na sequência do controlo da maioria do capital do banco pelo espanhol CaixaBank.

"Consideramos o banco BPI como um subsidiário estrategicamente importante do CaixaBank e esperamos que beneficie de apoio [de capital do CaixaBank] caso precise", lê-se na informação hoje divulgada, na qual a S&P dá conta do aumento da nota de crédito de longo prazo dada ao BPI, de BB- para BB+.

Contudo, este nível ainda é dentro do grau de 'lixo, ainda que o último degrau antes da passagem para grau de investimento. A S&P justifica o facto de a nota do BPI não melhorar mais com o 'rating' atribuído a Portugal, que a penaliza.

A agência de 'rating' passou ainda a perspetiva da nota do BPI de positiva para estável, ou seja, espera que esta se mantenha neste nível nos próximos meses.

Quanto ao controlo do BPI pelo CaixaBank, a S&P espera que dessa junção surjam sinergias e considera que o grupo espanhol ganha experiência com integração de mais entidades no grupo.

A agência de 'rating' fala também dos desafios que o CaixaBank terá com o BPI, nomeadamente na melhoria da sua rentabilidade, sobretudo se for reduzida ainda mais a participação do BPI no Banco Fomento de Angola (BFA), que tem sido nos últimos anos a grande fonte de resultados do banco fundado por Artur Santos Silva.

Esta melhoria do 'rating' do BPI acontece depois da Oferta Pública de Aquisição (OPA) que deu o domínio do banco ao grupo espanhol CaixaBank, tendo agora 84,5% do capital social do banco.

A 'holding' angolana Santoro (de Isabel dos Santos), até agora segundo maior acionista do banco (18,5%), saiu da estrutura acionista, assim como o grupo português Violas Ferreira e o Banco BIC (que Isabel dos Santos também controla), ambos com participações acima de 2%.

Dos principais acionistas mantém-se apenas a seguradora Allianz (8%), que tem um acordo com o BPI para a colocação dos seus produtos.

Na sequência desta operação já a semana passada a Fitch tinha melhorado a nota do BPI, mas neste caso para grau de investimento, ainda que no nível mais baixo.


Lusa

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Casos de cancro nos pulmões diminuem
    3:08

    País

    O mapa do cancro em Portugal está a mudar, pela primeira vez os casos de cancro do cólon ultrapassaram os do pulmão. A proibição de fumar em locais públicos tem levado à diminuição dos casos de tumores pulmonares.

  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28