sicnot

Perfil

Economia

Saída da França da zona euro pode custar mais de 30.000 M€ por ano

O governador do banco central francês advertiu hoje que o plano para a França abandonar a zona euro, prometido pela candidata à presidência Marine Le Pen, custaria ao país mais de 30 mil milhões de euros por ano.

A menos de três meses da primeira volta para as presidenciais francesas, marcada para 7 de maio, a candidata Marine Le Pen está bem colocada para passar à segunda volta, defendendo cortes na imigração, abandono da zona euro e a organização de um referendo sobre a permanência da França na União Europeia.


O governador do Banco de França, Francois Villeroy de Galhau, referiu hoje que a saída da França da zona euro aumentaria o custo do financiamento do país.


"Se estivéssemos sozinhos, ficaríamos desamparados perante a especulação do mercado financeiro e desamparados perante a pressão dos EUA sobre o dólar", disse Galhau à rádio France Inter.


"Financiar a dívida pública da França custaria mais de 30 mil milhões de euros (31 mil milhões de dólares) por ano, equivalente ao orçamento anual da defesa da França", adiantou o governador.


Galhau não deu uma análise do cálculo, mas disse que os juros da dívida da França caíram 1,5% desde que adotou a moeda única.
"Isso é muito significativo para as pessoas com empréstimos para habitação, para investimentos comerciais e para todos os contribuintes", disse o governador.


Le Pen defende que a França precisa de voltar a assumir o controlo da política monetária para fomentar o crescimento económico. A estimativa de crescimento do Produto Interno de Bruto (PIB) de França é de 1,3% em 2017, abaixo da média da zona euro (1,7%).


Galhau reconheceu que a economia francesa precisa de ser "reparada e remodelada", mas rejeitou a noção de que o euro é o responsável.


"Muitos países que partilham o euro com a França estão a ter um bom desempenho económico", afirmou Galhau, alertando para o "derrube de fundações, como do euro", que "constitui uma base muito forte em tempos incertos".

Lusa

  • DIRETO: Célula terrorista preparava grande atentado na Catalunha

    Ataque em Barcelona

    Uma das vítimas mortais do atentado em Barcelona era de Lisboa e há uma outra portuguesa, a sua neta, desaparecida. A polícia procura quatro jovens e há outras quatro detenções confirmadas. Os autores dos ataques na Catalunha, que mataram 14 pessoas e feriram 140, pertenciam ao mesmo grupo. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • Vídeo mostra passagem da carrinha a alta velocidade nas Ramblas
    0:33
  • O momento em que os suspeitos foram abatidos em Cambrils
    2:35

    Ataque em Barcelona

    Em Cambrils, também na Catalunha, foram mortos cinco alegados terroristas que atropelaram várias pessoas, uma morreu e seis ficaram feridas, quando escapavam a uma perseguição policial, esta madrugada. As autoridades investigam uma eventual relação entre os dois atentados. Nota: chamamos à atenção para a violência das imagens, que podem chocar os espetadores mais sensíveis.

  • Nível de ameaça terrorista em Portugal continua moderado
    1:31

    Ataque em Barcelona

    O primeiro-ministro garantiu hoje que, para já, o nível de ameaça terrorista em Portugal não vai ser alterado (o nível está no 4 em 5). Já o Presidente da República disse que não há tolerância possível e garante que há medidas preparadas caso o mesmo cenário venha a acontecer em Portugal.

  • Vento e calor provocam reacendimentos em Mação
    1:55

    País

    As temperaturas altas e o vento forte estão a provocar reacendimentos em Mação. No terreno mantêm-se cerca de 800 bombeiros, numa altura que que há receio que as chamas voltem a ficar ativas, como explica o repórter Rui Carlos Teixeira.