sicnot

Perfil

Economia

Dados do crescimento de 2016 "confirmam a aceleração da economia"

(Reuters/Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O Ministério das Finanças considerou hoje que os dados do crescimento divulgados pelo INE, de 1,4% em 2016, "confirmam a aceleração da economia portuguesa", bem como "a solidez e o rigor das estimativas" do Governo para 2017.

No terceiro trimestre de 2016, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 1,9% em termos homólogos e 0,6% face ao trimestre anterior, tendo o crescimento do conjunto do ano sido de 1,4%, segundo os números hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).


O crescimento económico de 1,4% em 2016 superou as projeções do Governo (que apontava para os 1,2%), da Comissão Europeia e dos analistas contactados pela Lusa (ambos estimavam um aumento de 1,3%), mas foi inferior ao registado em 2015, ano em que o PIB cresceu 1,6%.


Em comunicado enviado após a publicação do destaque do INE, o ministério de Mário Centeno indica que estes dados "confirmam a aceleração da economia portuguesa" e sublinha que "o aumento da taxa de crescimento do PIB está ancorada na recuperação da procura interna".


As Finanças destacam ainda que o investimento "teve o principal contributo para o aumento do crescimento" e que o reforço do investimento "é fundamental para a sustentabilidade do crescimento ao longo de 2017", referindo-se aos indicadores de confiança dos empresários em 2016 que "se traduzem agora nas decisões de investimento das empresas".


Sublinhando que o crescimento de 1,4% do PIB em 2016 "supera a previsão ontem [Notes:na segunda-feira] divulgada pela Comissão Europeia, de 1,3%", o gabinete de Mário Centeno reforça que estes dados "confirmam a solidez e o rigor das estimativas subjacentes ao Orçamento do Estado de 2017, reforçando a convicção do Governo nos pressupostos orçamentais e no crescimento em 2017".


A tutela refere que o crescimento em cadeia de 0,6% no último trimestre do ano passado "supera pelo segundo trimestre consecutivo a média da área do euro [Notes:0,4%] e, também, da União Europeia [Notes:0,5%] , retomando uma trajetória de convergência real há muito perdida", elogiando o facto de ",mais uma vez, Portugal [Notes:ser] um dos países que mais cresce no atual contexto europeu".


Na nota, o ministério cita ainda dados do emprego, que aumentou 1,8% no último trimestre do ano passado, "implicando a criação de cerca de 82 mil empregos adicionais ao longo do ano de 2016".


Para as Finanças, "a evolução da situação no mercado de trabalho é consistente com uma recuperação sustentada da economia, que se tem materializado sob a forma de criação de relações de trabalho com uma perspetiva duradoura".

Lusa

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08