sicnot

Perfil

Economia

Economia da zona euro cresce 1,7% no 4.º trimestre de 2016

© Tobias Schwarz / Reuters

A economia da zona euro cresceu 1,7% no quarto trimestre de 2016, face ao período homólogo, e 0,4% na comparação com o terceiro, divulga esta terça-feira o Eurostat, confirmando as primeiras estimativas.

O Produto Interno Bruto (PIB) do conjunto dos 28 Estados-membros da União Europeia (UE) aumentou, por seu lado, 1,8% face ao quarto trimestre de 2015 e 0,5% na comparação com o período entre julho e setembro de 2016.

Segundo o gabinete oficial de estatísticas da UE, dos países para os quais há dados disponíveis, a Roménia registou o maior aumento homólogo do seu PIB (4,8%), seguindo-se a Polónia (3,1%) e a Espanha (3,0%).

Já na comparação com o terceiro trimestre de 2016, a economia da Polónia foi a que mais cresceu (1,7%), seguindo-se as da Lituânia e Roménia (1,3% cada) e a da Bulgária (0,9%).

Na variação em cadeia, foi ainda registado um recuo de 0,5% no PIB da Finlândia.

Portugal viu a sua economia crescer, entre outubro e dezembro últimos, 1,9% face ao mesmo período de 2015 e 0,6% em relação ao trimestre anterior.

Já no conjunto de 2016, o PIB aumentou 1,4% em 2016, menos duas décimas do que em 2015, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística, superando as estimativas da Comissão Europeia (1,3%), dos economistas contactados pela Lusa (1,3%) e pelo próprio Governo (1,2%).

Na primeira estimativa, divulgada a 31 de janeiro, o Eurostat tinha já avançado com os dados do acumulado de 2016 e confirmados nas previsões de inverno da Comissão Europeia, divulgadas esta segunda-feira, de um crescimento de 1,7% no PIB da zona euro e de 1,9% no da UE.

Lusa

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Dijsselbloem não comenta hipótese de ser substituído por Mário Centeno
    2:41

    Mundo

    Jeroen Dijsselbloem diz que cabe ao Governo português avançar com o nome de Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo, mas não comenta a sondagem que foi feita ao ministro das Finanças português. Ouvido esta quinta-feira no Parlamento Europeu, o Presidente do Eurogrupo esteve no centro das críticas e reafirmou que não se demite.