sicnot

Perfil

Economia

Nokia relança o 3310, o telemóvel "indestrutível"

TechRadar

Foi lançado pela primeira vez no ano de 2000 e ficou famoso pelo jogo "Snake", pela duração da bateria e pela sua indestrutibilidade. A Nokia deverá relançar o modelo este mês, em Barcelona, agora numa nova versão.

É talvez o telemóvel mais adorado na história da tecnologia e na sua nova versão vai custar 59€.

O novo 3310 deverá vir equipado com uma câmara PureView com 41 megapíxeis e flash de xénon. Chegará às lojas com a versão do Windows Phone 8 num processador dual-core de 1.5 GHz e 32 gigas de armazenamento. O ecrã, de três polegadas, terá uma resolução de 1280 por 768 píxeis.

Características que há 17 anos não faziam parte do modelo que, mesmo assim, se tornou um fenómeno mundial.

Os rumores surgiram na segunda-feira, quando o jornalista Evan Blass publicou no Twitter a notícia da possibilidade desta nova versão ser lançada este mês.

O "antigo" 3310 ainda pode ser comprado através da Amazon. Resta agora saber se a nova versão fará tanto sucesso como o seu antecessor.

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".