sicnot

Perfil

Economia

CDS-PP exige detalhes sobre novo aeroporto de Lisboa

O CDS-PP questionou hoje o Ministério do Planeamento sobre o novo aeroporto, exigindo detalhe sobre estudos de tráfego, de capacidade, de impacto ambiental, e custos sobre o atual aeroporto e a opção do Montijo.

O documento assinado pelo líder parlamentar, Nuno Magalhães e pelo deputado Hélder Amaral começa por questionar a tutela sobre os fatores de capacidade atingidos no aeroporto Humberto Delgado, além do número de passageiros, e a capacidade de atribuição de slots (autorizações de movimentos de voos).

Os deputados centristas querem saber quais os estudos de impacto ambiental, entregues ao Governo que deram cobertura a uma solução aeroportuária no Montijo e os estudos de tráfego aéreo que aconselhem a necessidade de uma solução complementar ao Aeroporto Humberto Delgado.

"Quais as companhias que manifestaram a intenção de operar no Montijo? As low cost, como só transportam passageiros, seriam as que melhor se adequariam à operação do Montijo, contudo têm atualmente o direito de operar na Portela, logo, e à partida, só com algum tipo de contrapartida teriam interesse em se deslocar", expõem.

Os deputados do CDS querem saber se estas companhias terão algum tipo de contrapartidas financeiras, nomeadamente nos preços das taxas aeroportuárias a aplicar no Montijo, perguntando também se há estudos que apontem para os valores de taxas aeroportuárias a ser aplicados, em geral.

"Quanto receberá a Força Aérea pela utilização da sua infraestrutura", questionam.

O CDS pergunta ainda se o Montijo será apenas um terminal de passageiros ou terá também carga e se estará envolvido na receção de correio.

Na pergunta dirigida ao Ministério do Planeamento e Infraestruturas, os centristas querem saber o custo estimado para a recolocação de aeronaves, e de outros bens da Força Aérea Portuguesa, em outras bases militares, bem como se o novo sistema de gestão de tráfego aéreo adquirido pela NAV já suporta a "nova realidade operacional do Montijo".

"Quem é que vai ser responsável pela segurança dentro da base militar? Dentro do terminal de passageiros, e num possível terminal de carga e correio, não será difícil adivinhar que a responsabilidade será da PSP ou da GNR, mas nas outras áreas, nomeadamente do 'Lado AR', a responsabilidade será militar? A quem se paga esses serviços, quem paga e como se paga", questionam.O Governo e a ANA - Aeroporto de Portugal assinaram quarta-feira um memorando de entendimento para aprofundarem o estudo da base aérea do Montijo como opção de aeroporto complementar para Lisboa.

Nessa ocasião, o primeiro-ministro, António Costa, defendeu que a utilização do Montijo como aeroporto complementar de Lisboa é a solução de "maior viabilidade", sendo agora necessário "maximizar oportunidades" e os "ganhos" para o desenvolvimento regional."Acho que o país já estudou o que tinha a estudar. Importa decidir o que se tem de decidir", declarou o chefe do Governo.

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • ERSE concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões euros a mais à EDP
    0:53

    País

    José Gomes Ferreira afirmou esta sexta-feira que a ERSE -Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões de euros a mais do que o necessário à EDP. Contratos que foram postos em prática em 2007 por Manuel Pinho, na altura ministro da Economia.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59