sicnot

Perfil

Economia

Meia centena de empresários da diversão itinerante protestam em Lisboa

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Cerca de meia centena de empresários da diversão itinerante estão hoje de manhã concentrados junto à Presidência do Conselho de Ministros, em Lisboa, num protesto para reivindicar medidas de apoio ao setor.

Os manifestantes chegaram à Rua Possidónio da Silva - que está cortada no local da concentração - cerca das 10:00, vindos do Terreiro do Paço, onde iniciaram os protestos, em frente ao Ministério das Finanças.

Ao chegar perto da Presidência do Conselho de Ministros, onde decorre uma reunião do executivo, o presidente da Associação Portuguesa de Empresas de Diversão (APED) começou a discursar, com um megafone, sublinhando que as festas da Póvoa de Lanhoso estão sem carrosséis e que a Feira de Março, em Aveiro, corre o mesmo risco.

"Nós não queremos favores, nós somos cultura", afirmou o responsável.
Entre os cartazes exibidos podem ler-se inscrições como "Onde estão as medidas? Queremos respostas", "Continuamos à vossa espera há quatro anos" ou "Contra a inércia e falta ao compromisso dos políticos exigimos decreto-lei".

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

As iniciativas incluem manifestações, marchas lentas e desfiles entre hoje e 25 de março.

Os empresários da diversão itinerante (como carrosséis) têm realizado vários protestos nos últimos anos para pedir medidas de apoio à atividade, entre as quais voltar a ter alvarás de cultura que lhes permitam descer o Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) de 23% para 13%.

O objetivo é a aplicação da resolução 80/2013, aprovada por todos os partidos políticos no parlamento e publicada em Diário da República, que "recomenda ao Governo o estudo e a tomada de medidas específicas de apoio à sustentabilidade e valorização da atividade das empresas itinerantes de diversão".

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

A 21 de fevereiro, os empresários manifestaram-se em Lisboa para exigir voltar a ter alvarás de cultura.

No entanto, o Governo recusou a descida do IVA até ao próximo Orçamento do Estado, o que levou o presidente da APED a ameaçar com um boicote às feiras nacionais.

Entre as 15:00 e as 22:00, os empresários protestam junto à residência oficial do primeiro-ministro, de onde pretendem seguir para o Palácio de Belém.

Lusa/Fim

  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.

  • TAP recruta mais assistentes de bordo
    2:40

    Economia

    A TAP assegura que, até ao final de outubro, os problemas com falta de tripulação vão terminar. Até ao final do ano vão ser contratados novos assistentes de bordo, mas o sindicato diz que não chega.

  • "Um ataque e uma humilhação contra o povo catalão"
    1:35