sicnot

Perfil

Economia

Tesla chama 53 mil veículos à revisão por problemas nos travões

Toby Melville

A Tesla está a chamar cerca de 53 mil veículos de todo o mundo à revisão, devido a um problema nos travões de mão, que ficam presos e impossibilitam o carro de mover-se. Os modelos afetados são o sedan 3 e o SUV X.

A chamada diz respeito aos veículos construídos entre fevereiro e outubro de 2016, mas a empresa acredita que apenas cerca de 5% destes carros é que estão afetados. A Tesla quer, no entanto, inspecioná-los, de modo a ter certeza.

Segundo a Associated Press, os veículos podem conter uma pequena peça fabricada indevidamente pelo fornecedor. No caso desta peça se partir, o travão de mão pode ficar preso no lugar. O problema não parece afetar os travões normais.

Até ao momento, a empresa garante que não houve qualquer acidente relacionado com o problema. A Tesla irá contactar os donos por e-mail e começará os arranjos imediatamente, esperando terminar os reparos até outubro de 2017.

  • A Gigafábrica
    10:58

    Reportagem Especial

    Um porta-voz da fabricante norte-americana de veículos elétricos Tesla confirmou à SIC que a empresa vai começar a analisar potenciais localizações, no próximo ano, para a nova fábrica a construir na Europa. Portugal é um dos países que está a tentar atrair o mega investimento que, a concretizar-se, promete criar milhares de postos de trabalho numa enorme unidade industrial para baterias e carros elétricos, totalmente abastecida por energias renováveis. Um grupo de cidadãos já lançou um movimento para mostrar a Elon Musk, o patrão da Tesla, que a sociedade portuguesa apoia a vinda da fábrica para o país. A existência de minerais com lítio, uma das matérias primas usadas no fabrico de baterias, tem sido apontada como um ponto a favor de Portugal. Mas será suficiente?

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • ASAE encerra em média um restaurante por dia
    1:33
  • Grupo de brasileiros em assalto milionário no Paraguai
    1:24