sicnot

Perfil

Economia

Guiné Equatorial ultrapassa pela primeira vez Angola na venda de petróleo a Portugal

A Guiné Equatorial ultrapassou pela primeira vez Angola como maior fornecedor lusófono de petróleo a Portugal no primeiro trimestre, com vendas acima de 100 milhões de euros, quase o dobro do valor comprado a Angola.

De acordo com os cálculos da Lusa com base nos dados do Instituto Nacional de Estatística relativamente às estatísticas do comércio internacional, divulgadas na semana passada, Portugal comprou à Guiné Equatorial 103,9 milhões de euros em Produtos Minerais, ultrapassando os 54,7 milhões que comprou a Angola.

Os dados agregados do primeiro trimestre mostram que esta é a primeira vez que Angola, um dos dois maiores produtores africanos de petróleo a par da Nigéria, não é o principal fornecedor desta matéria-prima a Portugal, já que no total do ano passado o saldo é largamente favorável à antiga colónia portuguesa.

Olhando para a totalidade do ano passado, constata-se que Angola vendeu 785,5 milhões de euros em petróleo a Portugal, contra apenas 83,8 milhões de euros de petróleo equato-guineense comprado por Portugal.

Contactada pela Lusa, a Galp, a maior compradora de petróleo portuguesa, explicou que "o processo de seleção de qualidades de petróleo bruto (vulgo "crude") depende essencialmente da sua disponibilidade, dos rendimentos em produtos refinados e da competitividade no contexto mundial".

Comentando a alteração do maior fornecedor de petróleo a Portugal, a petrolífera acrescentou que "anualmente a Galp adquire e refina entre cerca de 25 a 30 qualidades diferentes de crudes, por isso a alteração do 'mix' de compras apresenta variações ao longo do tempo de modo a maximizar a eficiência da produção".

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC