sicnot

Perfil

Economia

BE quer fim das "rendas excessivas" na energia

ANTÓNIO COTRIM

O Bloco de Esquerda pediu esta quinta-feira o fim das "rendas excessivas" na energia, com o primeiro-ministro a pedir para não se "desvalorizar" o que o Governo fez e a assumir ter como "missão" a redução desses custos.

."Hoje, há 800 mil famílias que beneficiam da tarifa social da eletricidade. Quando iniciámos a legislatura, havia pouco mais de 60 mil famílias", lembrou o chefe do Governo, António Costa, respondendo no debate quinzenal no parlamento à coordenadora do BE, Catarina Martins.

A bloquista trouxe a debate a questão em torno das investigações à EDP e à REN, e abordou os Contratos de Manutenção de Equilíbrio Contratual (CMEC) - muitas vezes caraterizados como "rendas excessivas" pagas pelos contribuintes nas suas faturas de eletricidade.

O líder do executivo afirmou, à imagem do que havia dito na quarta-feira em entrevista à SIC, ser intenção do Governo proceder a uma "renegociação dos contratos" no termos das suas concessões, baixando assim a fatura de eletricidade para os cidadãos e as empresas, algo, declarou, "essencial para um melhor equilíbrio energético e o desenvolvimento do país".

Costa declarou ainda haver um "quadro legal, contratual e regulamentar que é preciso respeitar", mas valorizou o "mais baixo aumento de sempre" de energia "para toda a gente" e a "redução do preço do gás para a indústria".

"Sabemos que a EDP não gostou nada da tarifa social, mas ainda bem que fomos a essa luta. Mas vamos agora à mais difícil", pediu por seu turno Catarina Martins.

Os CMEC, disse ainda a bloquista, consistem em "subsídios atribuídos de forma nebulosa que passaram pela porta circulatória" entre a política e os negócios, com envolvimento de quadros de PSD, CDS e PS.

"Nesta porta circulatória, os responsáveis tomaram decisões que o regulador já fez as contas e foram pagos 2,5 mil milhões de euros em recursos em 10 anos, pelos consumidores", acrescentou ainda.

E concretizou, numa alusão ao Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), em Lisboa: "A EDP pode fazer bonitos museus à beira-rio mas levou por ano todo o Orçamento do Estado para a Cultura. Tinha de ser assim? Não".

Antes, a líder do BE havia questionado o primeiro-ministro sobre matérias ligadas à Educação, tema do debate quinzenal de hoje, garantindo que "é preciso contratar já" mais docentes e pessoal não docente para as escolas.

No arranque do debate parlamentar, o primeiro-ministro afirmou que o próximo ano letivo arrancará com reduções de alunos por turma, dando-se prioridade aos Territórios Educativos de Intervenção Prioritária, e com mais três mil professores vinculados e reforço de assistentes operacionais.

Catarina Martins diz que esta redução de alunos não chegará aos 200 mil estudantes que o primeiro-ministro advoga que irão beneficiar com a medida.

Lusa

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28