sicnot

Perfil

Economia

Primeiro-ministro diz que solução para o crédito malparado está a ser estudada

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou esta quinta-feira que se realizou na segunda-feira uma reunião entre o Ministério das Finanças, o Banco de Portugal (BdP) e os três maiores bancos que visa preparar uma solução para o crédito malparado.

No debate quinzenal no parlamento, o líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, questionou o primeiro-ministro "como está o estudo sobre o crédito malparado e o famoso veículo que prometeu ao país que iria criar".

Na resposta, o primeiro-ministro começou por salientar que a questão do crédito malparado "foi ignorada durante vários anos".

"Posso-lhe responder que, ainda na segunda-feira, houve uma reunião no Ministério das Finanças entre o Ministério, o Banco de Portugal e os três principais bancos do país com mais elevado nível de créditos não performativos, de forma a apresentarem aos bancos uma proposta de solução para eles estudarem, serem ouvidos e darem parecer sobre a matéria", disse.

O líder parlamentar do PSD lamentou que "há ano e meio" que o Governo ande a falar em estudos sobre a matéria."Ano e meio depois deixe-se de conversas, qual é a solução, quem vai financiar esta solução para o crédito malparado, que, deixe-me dizer-lhe, foi criado na altura dos governos socialistas", questionou Luís Montenegro.

Tem sido muito falada a necessidade de criação de um "veículo" para retirar crédito malparado e em risco do balanço dos bancos, com o Governo a considerar uma medida prioritária apesar de vários presidentes de bancos reiterarem que não é necessário.

Da parte dos bancos, estes referem habitualmente que as empresas que procuram crédito apresentam situações frágeis e que as operações seriam muito arriscadas.

Quanto ao crédito malparado (crédito de cobrança duvidosa), registou-se em abril uma melhoria, tanto nas empresas como nas famílias.

Nas empresas, o rácio de empréstimos em incumprimento era de 15,4% do total do crédito concedido e nas famílias de 4,7%, sendo o crédito à habitação aquele que tem menor grau de incumprimento (3%), como tradicionalmente.

Lusa

  • Inglaterra estreia-se com vitória suada frente à Tunísia

    Mundial 2018 / Tunísia

    A seleção inglesa estreou-se no Mundial 2018 com um triunfo sobre a Tunísia por 2-1, com o golo da vitória a ser apontado já para lá do minuto 90. O jogo foi referente à 1.ª jornada do grupo G. Veja aqui os golos e os lances que marcaram o encontro.

  • O melhor golo do 5.º dia de Mundial

    Desporto

    Numa escolha feita pelos jornalistas de desporto e do site da SIC Notícias, mostramos-lhe o melhor golo deste quinto dia de Mundial. Foi apontado por Dries Mertens, na vitória da Bélgica sobre o Panamá por 3-0.

  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC