sicnot

Perfil

Economia

Inflação desacelera para 0,9% em junho

(Arquivo)

O Índice de Preços no Consumidor (IPC) passou de 1,5%, em maio, para 0,9%, em junho, "refletindo, sobretudo, a desaceleração dos preços da classe dos produtos alimentares e bebidas não alcoólicas", divulgou hoje o INE.

De acordo com os dados disponibilizados, hoje, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a inflação de junho foi a mais baixa deste ano, ficando pela primeira vez, em 2017, abaixo de 1%.

O indicador de inflação subjacente (índice total, excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) registou uma variação homóloga de 1,1%, menos 0,1 pontos percentuais do que no mês anterior.

A variação mensal do IPC, por sua vez, foi -0,4% (-0,2% no mês anterior e 0,1% em junho de 2016) e a variação média dos últimos doze meses fixou-se em 1,1%, taxa superior em 0,1 pontos percentuais à registada no mês anterior.

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 1%, taxa inferior em 0,7 pontos percentuais à verificada no mês anterior e inferior em 0,3 pontos percentuais à estimada pelo Eurostat, para a área do euro (em maio, a taxa do IHPC português foi superior em 0,3 pontos percentuais à da área do euro).

O IHPC registou uma variação mensal de -0,5% (-0,3% no mês anterior e 0,2% em junho de 2016) e a taxa de variação média dos últimos doze meses foi 1,2% (valor superior em 0,1 pontos percentuais ao registado no mês anterior).

Lusa

  • João Galamba deixa de ser porta-voz do PS

    País

    João Galamba vai deixar de ser porta-voz do PS e de integrar a comissão permanente do partido. A nova porta-voz dos socialistas vai ser Maria Antónia Almeida Santos, que já integrava a comissão independente, órgão de direção política do PS.

  • Mariano Rajoy não vai convocar eleições antecipadas
    1:24

    Mundo

    O governo espanhol está por um fio por causa de um processo de corrupção a envolver dirigentes do PP. O PSOE apresentou uma moção de censura e o Ciudadanos pede eleições antecipadas. O chefe do governo, Mariano Rajoy, já disse que não vai convocar eleições.