sicnot

Perfil

Economia

Funeral de Américo Amorim realiza-se sábado no Mosteiro de Grijó

ANT\303\223NIO SILVA

O funeral do empresário Américo Amorim, que faleceu esta quinta-feira aos 82 anos de idade, realizar-se-á sábado de manhã no Mosteiro de Grijó, no concelho de Vila Nova de Gaia, revelou ao final da tarde fonte do Grupo Amorim.

A igreja construída entre 1574 e 1624 está situada na chamada Quinta do Mosteiro, que é propriedade da família do industrial corticeiro, e às 10:30 irá acolher as cerimónias fúnebres numa missa de corpo presente.

Ainda segundo a mesma fonte do Grupo Amorim, essas exéquias serão precedidas, esta sexta-feira, por um velório na capela do referido Mosteiro, no período entre as 13:00 e as 22:00.

Natural de Mozelos, em Santa Maria da Feira, Américo Ferreira de Amorim nasceu a 21 de julho de 1934 e cresceu numa família já ligada à indústria da cortiça. Em 1952 assumiu a liderança da Corticeira Amorim, empresa determinante no grupo homónimo que mais tarde se transformou num dos maiores impérios industriais do país e se afirmou como líder destacado a nível mundial no setor da cortiça.

Segundo a revista Forbes, Américo Amorim era ainda o homem mais rico de Portugal, sendo que a sua fortuna estava avaliada como superior a quatro mil milhões de euros.

Lusa

  • Marcelo pede "serenidade e cabeça fria" no debate político
    1:29
  • Seca agrava prejuízos agrícolas no Alentejo
    2:11
  • Estudantes universitários poderiam estar a pagar propinas mais baixas
    2:02

    País

    Os alunos universtários poderiam estar a pagar propinas mais baixas do que pagam atualmente. A situação foi denunciada pela Federação Académica do Porto, que diz que os estudantes estão a pagar cerca de 100 euros a mais do que deviam. O INE admite, num documento enviado ao Governo, que pode existir um método melhor para o cálculo destes valores.

  • Várias casas evacuadas devido a chuvas fortes na Alemanha
    0:54
  • Liberdade de movimento entre UE e Reino Unido termina em março de 2019

    Brexit

    A liberdade dos cidadãos europeus para viver e trabalhar no Reino Unido vai terminar, em março de 2019. O Governo britânico pediu esta quarta-feira um estudo de um ano sobre a migração europeia no país, de modo a ajudar no sistema de imigração que será implementado. A avaliação vai estar concluída em setembro, de 2018, seis meses antes da conclusão do Brexit.