sicnot

Perfil

Economia

Câmara de Lisboa arrecada 9,29 milhões € com venda de oito imóveis

Rafael Marchante

A Câmara de Lisboa arrecadou esta sexta-feira 9.295.202,00 euros com a venda, em hasta pública, de cinco frações autónomas e de três terrenos, informou esta sexta-feira o município, indicando que os compradores são portugueses.

Em nota enviada à agência Lusa, o diretor municipal de Gestão Patrimonial informou que, na hasta pública realizada no edifício da autarquia no Campo Grande, "apresentaram-se 17 entidades, todas portuguesas, sendo cinco particulares e 12 empresas".

Ao todo, estavam para venda "sete parcelas de terreno para construção e cinco frações autónomas para uso não habitacional", sendo que "os quatro ativos não alienados são lotes ou parcelas de terreno para construção", acrescenta António Furtado.

As cinco frações autónomas - todas vendidas - situam-se nas freguesias de Santa Maria Maior (Residências do Martim Moniz e Rua Áurea), do Lumiar (Rua Bento Jesus Caraça) e da Misericórdia (Rua do Vale).

Quanto às parcelas de terreno alienadas, localizam-se em Belém (Rua Horta e Silva), no Parque das Nações (Rua Conselheiro Lopo Vaz) e em Santa Maria Maior (Rua Áurea).

As que ficaram por vender são duas parcelas de terreno em Belém (Rua Dom Jerónimo Osório e Rua Gregório Lopes) e dois lotes de terreno no Lumiar (Quinta dos Alcoutins).

"Foram feitos 81 lanços na praça, com a maior concorrência a acontecer para uma parcela de terreno para construção na Rua do Vale, na freguesia da Misericórdia", observa o responsável.

Ainda assim, no que toca a valores, o imóvel vendido a um preço mais elevado foi uma parcela de terreno na Avenida Recíproca, arrematada por 5.940.000,00 euros.

No total, "os oito ativos alienados renderam ao município um total de 9.295.202,00 euros, quando o valor base de licitação era 8.764,000,00", adianta António Furtado.

Em comunicado hoje divulgado, a direção de campanha da candidata do PSD à presidência da Câmara de Lisboa informa que Teresa Leal Coelho "acompanhou a hasta pública de venda de património da autarquia realizada esta sexta-feira no Campo Grande".

"Teresa Leal Coelho tem vindo a denunciar a venda indiscriminada de património por parte da Câmara Municipal de Lisboa", refere a nota enviada à Lusa, assinalando que "a candidatura do PSD defende uma inversão na política de gestão do património e dos recursos financeiros" da autarquia.

"Teresa Leal Coelho assume o compromisso de acompanhar a utilização da receita que hoje será arrecadada com mais esta venda de imóveis", lê-se ainda.

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52