sicnot

Perfil

Economia

Jerónimo de Sousa pede a Governo para impedir negócios da Altice

Jerónimo de Sousa pede a Governo para impedir negócios da Altice

O secretário-geral do PCP apelou este domingo ao Governo para que utilize "todos os meios disponíveis para impedir" os negócios que a Altice está a desenvolver em Portugal, por considerar que "põem em causa o interesse nacional".

O líder comunista, que discursava durante um almoço convívio de apresentação dos candidatos da CDU do distrito de Viana do Castelo, disse "não aceitar que "o país fique de mãos atadas ou condenado à chantagem da Altice", que se "prepara para mandar para o desemprego cerca de 3 mil trabalhadores e pôr em causa direitos de pré-reformados e reformados".

A Altice, grupo que comprou há dois anos a PT Portugal, anunciou na sexta-feira que chegou a acordo com a espanhola Prisa para a compra da Media Capital, dona da TVI, entre outros meios, numa operação que a empresa espanhola avalia em 440 milhões de euros.

A ERC tem de se pronunciar sobre a operação quando for contactada pela Autoridade da Concorrência (AdC), antes desta última dar o seu parecer sobre o negócio. O parecer do regulador dos media é vinculativo.

Com Lusa

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38