sicnot

Perfil

Economia

Portugal sobe 4 lugares na lista mundial de competitividade

Pascal Lauener

Portugal subiu quatro lugares no ranking mundial de competitividade do World Economic Forum (WEF) e ficou na 42.ª posição. Burocracia e impostos são apontados pelos empresários como os fatores mais problemáticos desta subida.

No Relatório da Competitividade Mundial do WEF, que será apresentado na quarta-feira de manhã pelo Fórum de Administradores e Gestores de Empresas (FAE), pela Associação para o Desenvolvimento da Engenharia (PROFORUM) e pela AESE Business School, em 2017 Portugal passou para a 42.ª posição no ranking.

A ineficiente burocracia do Governo (19%) e as taxas e os impostos (19%) "são os fatores mais problemáticos para os negócios e também a primeira preocupação este ano para os empresários", de acordo com o documento, que indica ainda que a regulação laboral foi a terceira preocupação apontada pelos empresários (14%).

Segundo os empresários, a preocupação relativa à instabilidade política (13%) desceu do terceiro para o quarto fator de preocupação e as condições de acesso, que têm vindo a melhorar desde 2015, estão entre os fatores mais problemáticos (tendo sido referido por 10% dos empresários).

Finalmente, também os regulamentos fiscais desceram este ano para o sexto fator de preocupação por parte dos empresários, tendo 7% apontado este aspeto como um problema para os negócios em Portugal.

A subida de quatro lugares este ano em relação à última edição foi acompanhada de um aumento da pontuação de Portugal, de 4,48 para 4,57, atingindo-se este ano a situação em que Portugal estava em 2006.

O resultado agora alcançado surge num contexto em que, após um período longo de deterioração (2006 a 2013), Portugal tinha conseguido subir 15 posições em 2014, do 51.º para o 36.º lugar no ranking). Depois assistiu-se a uma nova perda de competitividade em 2015 e em 2016, ocupando Portugal a 38.ª e a 46.ª posições, respetivamente, o que representou uma queda de dois lugares no primeiro caso e de oito no segundo.

Lusa

  • Tomadas medidas para evitar danos ambientais após acidente na barra da Armona
    1:49

    País

    Quatro tripulantes foram transportados para o hospital com hipotermia, depois de terem caído ao mar. A embarcação onde seguiam, e que faz trabalhos de reposição de areias, virou-se esta manhã, na ilha da Armona, em Olhão. As autoridades vão abrir um inquérito para apurar as causas do acidente e estão a tomar medidas para evitar danos ambientais, visto que a embarcação transportava 12 mil litros de gasóleo.

  • Papa no Chile em ambiente de contestação à Igreja Católica
    3:13

    Mundo

    O Papa pediu hoje perdão pelos crimes de pedofilia cometidos por membros da Igreja Católica no Chile, referindo que sentiu "dor e vergonha" diante do "dano irreparável" causado às crianças vítimas de abuso sexual. Francisco está a cumprir uma deslocação de três dias ao Chile, onde a contestação à visita e à Igreja se faz sentir. O Papa enfrenta um ambiente hostil na sexta viagem à América Latina, devido à denúncia de abusos sexuais na Igreja.

  • Reviravolta na Operação Fizz
    1:09

    País

    O juiz que vai julgar o chamado processo da Operação Fizz decidiu aceitar as denúncias de Orlando Figueira contra o presidente do Banco Atlântico e o advogado Daniel Proença de Carvalho. As acusações do principal arguido contra o banqueiro Carlos Silva e o advogado Proença de Carvalho podem trazer uma reviravolta ao processo.

  • Apoio psicológico fundamental em Vila Nova da Rainha
    2:19
  • Projeto Bairros Sem Cárie levou 300 pessoas do Seixal ao dentista
    3:08

    País

    Portugal tem dos piores indicadores de saúde oral da Europa e ir ao dentista é quase um luxo. Num país assim ganham ainda mais relevância iniciativas como o projeto Bairros Sem Cárie. 300 pessoas de bairros sociais do Seixal tiveram uma consulta de estomatologia gratuita.

  • Homem rompe a garganta ao tentar impedir espirro

    Mundo

    Impedir um espirro apertando o nariz pode causar sérias lesões. Foi o que aconteceu a um homem na Grã-Bretanha que teve de ser hospitalizado porque sofreu uma rutura na garganta ao apertar boca e nariz ao espirrar.