sicnot

Perfil

Economia

Subida do PIB atualiza automaticamente pensões a partir de janeiro

Vieira da Silva, ministro do trabalho

MANUEL DE ALMEIDA

O ministro do Trabalho, Vieira da Silva, disse hoje que o crescimento homólogo de 2,5% da economia portuguesa (PIB) no terceiro trimestre, hoje divulgado, vai permitir a partir de janeiro uma valorização real e automática das pensões abaixo de 850 euros.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou hoje um aumento de 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) no terceiro trimestre deste ano, face ao mesmo período de 2016, uma desaceleração face ao aumento de 3% registado no trimestre anterior: "Os dados do PIB, hoje divulgados, confirmam que atingimos um patamar de crescimento que vai dar direito a que cerca de 80% a 90% dos pensionistas, ou mais de 2,6 milhões de pensionistas, tenha um crescimento real das suas pensões", disse o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, hoje em Lisboa, à margem da sessão de encerramento do Congresso Nacional da Economia Social.


"Ou seja, além da inflação, haverá - como a lei estipula - um aumento adicional, automático, a partir do mês de janeiro. Mas creio que os dados do crescimento económico hoje divulgados, para além da importância que têm, por Portugal continuar a crescer a um bom ritmo, tem este impacto nas penões, não menos importante", frisou o ministro, adiantando não saber ainda exatamente o valor desse aumento, uma vez que aguarda saber os últimos dados da inflação, de dezembro deste ano próximo.


A lei da atualização das pensões, descongelada há dois anos, calcula a atualização com base na média de crescimento anual do PIB nos últimos dois anos, terminados no terceiro trimestre, e na variação média dos últimos 12 meses do Índice de Preços no Consumidor (inflação), sem habitação.


O ministro salientou ainda que esta atualização de pensões a partir de janeiro, a confirmar-se, vai acontecer "pela primeira vez" desde que a lei da atualização automática das pensões foi aprovada.

Lusa

  • Défice caiu mais de 2,6 mil milhões de euros até outubro

    Economia

    O défice das administrações públicas foi de 1.838 milhões de euros até outubro, bem abaixo dos cerca de 4.500 milhões de há um ano. É "uma melhoria de 2.664 milhões de euros" em relação ao mesmo período do ano passado, aponta o Ministério das Finanças.

  • O que têm ice tea, colas e leite com chocolate em comum? O PAN explica
    1:36
  • Vodafone Mexefest arranca hoje
    2:29