sicnot

Perfil

Economia

Maior conflito laboral de sempre na Autoeuropa sem fim à vista

Jose Manuel Ribeiro

A Comissão de Trabalhadores da Autoeuropa e a administração da empresa regressam hoje à mesa das negociações sobre os novos horários de trabalho, na esperança de alcançarem um acordo que garanta a paz social na fábrica de automóveis de Palmela.

O diferendo sobre os novos horários, que já vem do ano passado, esteve na origem da primeira greve por motivos laborais na fábrica de Palmela e provocou a queda da anterior Comissão de Trabalhadores, devido à rejeição de um pré-acordo que tinha sido negociado com a administração da fábrica.

A nova Comissão de Trabalhadores liderada por Fernando Gonçalves, que, entretanto, foi eleita, negociou um segundo pré-acordo, mas os trabalhadores voltaram a rejeitar a proposta por larga maioria, o que levou a administração da fábrica a avançar, unilateralmente, com um horário transitório que deverá vigorar de fevereiro a julho deste ano.

Face à boa aceitação do novo veículo T-Roc produzido na fábrica da Volkswagen em Palmela, que só este ano deverá ter uma produção de 240 mil unidades, a administração da Autoeuropa entende que é necessário mais um sexto dia de produção em cada semana, mas os trabalhadores contestam a obrigatoriedade de trabalharem ao sábado.

A remuneração dos sábados também é motivo de polémica entre as partes. A administração garante que vai pagar os sábados como trabalho extraordinário, mas os sindicatos afetos à CGTP disseram, na quarta-feira, em conferência de imprensa, que a Autoeuropa quer fazer o pagamento dos sábados como um dia normal de trabalho.

Em comunicado dirigido aos trabalhadores da Autoeuropa no passado mês de dezembro, na sequência da rejeição dos dois pré-acordos laborais, a administração da fábrica anunciou a intenção de avançar com um horário de produção de 17 turnos semanais, distribuídos por seis dias.

Na referida comunicação a empresa prometia também pagar os sábados a 100%, acrescidos de mais 25% caso fossem cumpridos os objetivos de produção trimestrais.

Apesar de várias reuniões já realizadas entre as partes, a administração e trabalhadores ainda não chegaram a uma solução que permita colocar um ponto final naquele que já é o maior conflito laboral de sempre na fábrica de automóveis de Palmela, mas as negociações entre as partes prosseguem esta quinta-feira.

Para além dos cerca de 5.000 trabalhadores da Autoeuropa, há mais três mil que pertencem a outras fábricas do parque industrial da Autoeuropa, que dependem da fábrica de Palmela, tal como muitos outros trabalhadores de diversas unidades industriais que têm como principal cliente a fábrica de automóveis de Palmela.

  • Trabalhadores da Autoeuropa mantêm exigências
    1:49

    Economia

    O Sindicado dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras não vai convocar uma greve na Autoeuropa para o início de fevereiro, apesar da vontade expressa pelos trabalhadores da empresa. O sindicato diz que houve uma pequena evolução nas negociações com a comissão de trabalhadores, mas mantém as exigências, entre elas aumentos salariais, mais tempo de pausa e uma nova linha de montagem.

  • Braço de ferro na Autoeuropa continua, com greve no horizonte
    0:37

    Economia

    Ao segundo dia de negociações com a administração da Autoeuropa, o sindicato das Indústrias Metalúrgicas admite que não se avançou na contenda e os trabalhadores devem voltar a ser ouvidos, antes de definir novas formas de luta. A greve está para já prevista, mas também não está afastada.

  • Mira Amaral diz que VW pode levar Autoeuropa para Marrocos

    Economia

    Mira Amaral diz que a Volkswagen pode levar a produção da Autoeuropa para Marrocos. O antigo ministro da indústria do governo de Cavaco Silva que negociou a vinda da fábrica para Portugal, diz que teme pelo futuro da Autoeuropa e pede "bom senso" nesta nova fase de negociações

  • Parceiros sociais descartam risco de deslocalização da Autoeuropa
    2:18

    Economia

    Patrões e sindicatos descartam o risco de deslocalização da Autoeuropa mas alertam para as consequências que o impasse negocial pode ter na empresa. À margem da reunião da concertação desta terça-feira, os parceiros sociais voltaram a apelar para um entendimento entre a administração e os trabalhadores.

  • Governo acredita em acordo na Autoeuropa
    0:38

    Economia

    Vieira da Silva mostrou-se este sábado confiante num novo acordo entre os trabalhadores e a administração da Autoeuropa. Em declarações à Antena 1, o ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social diz perceber os motivos que levam os funcionários a reivindicar melhores condições de trabalho.

  • Marcelo já sabia da substituição do embaixador de Angola
    4:00

    País

    O Presidente da República sabia há bastante tempo da substituição do embaixador de Angola em Lisboa e já tinha aprovado o nome do futuro representante de Luanda. A revelação foi feita, esta terça-feira, por Marcelo Rebelo de Sousa, numa conversa exclusiva com a SIC no Palácio de Belém. O Presidente contou ainda que não vai enviar recados ao Governo nem aos partidos no discurso de 25 abril que vai fazer na Assembleia da República.

    Exclusivo SIC

  • Chegaram os brinquedos de cartão para a consola
    6:24
  • O 10 de julho de 1941 na escrita de João Pinto Coelho
    15:09
  • Governo promete melhorar condições de 26 mil famílias
    1:23

    País

    O ministro do Ambiente explicou esta terça-feira, no Parlamento, as novas medidas para a habitação: reduzir os impostos para arrendamentos longos, melhorar as condições de 26 mil famílias e introduzir o arrendamento vitalício para maiores de 65 anos. Este é um investimento que vai chegar aos 1700 milhões de euros.

  • Pato em excesso de velocidade faz disparar radar numa estrada suíça
    1:31
  • Peixe-galo e batatas rosti, qual o cardápio do encontro entre os líderes das Coreias?

    Mundo

    O menu do encontro entre o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, já foi dado a conhecer esta terça-feira. Através do site oficial do Governo, Seul anunciou um cardápio com vários pratos típicos da Península da Coreia, como dumplings ao vapor, arroz cultivado na Coreia, carne grelhada, salada fria com polvo, peixe-galo, batatas rosti e sopa fria.

    SIC

  • O vestido de noiva de Megan Markle
    1:17